opinião

Carta de amor ao Jorge Nice, um verdadeiro fenómeno que se instalou em Setúbal

O nosso compositor e músico leva o nome da cidade a qualquer lado.
Viva o Vitória.

Querido Jorge,

Não te assustes e diz à Sandra que este amor se traduz apenas em respeito e carinho pela pessoa que tens sido para a minha cidade. Às vezes, ainda acho que és pouco idolatrado e que os aplausos deviam ser maiores.

Sei que não nasceste aqui, mas foi com esta cidade que assinaste um contrato vitalício há quase duas décadas. Abriste as malas e também o coração, de onde te saem todas as músicas bonitas que tantas vezes já ouvi.

Compões versos sobre Setúbal que deviam estar tatuados em cada esquina, tal não é o significado que têm para quase todos os que habitam nesta cidade à beira-mar plantada.

Alegras dos mais novos aos já cansados durante várias horas sem nunca vergar e isso, querido Jorge, é de louvar.

São poucos os que te conseguem igualar em elogios a Setúbal, que tão bem trauteias em cada canção, palavras que vêm diretamente do coração. A mim, só me apetece dar-te a mão.

Dar-te a mão e agradecer-te por através da tua voz levares Setúbal tão longe, como eu também tento a cada dia. Somos família por isso.

Recebe o meu abraço por isso, querido Jorge, e já sabes: que a vida te continue a dar bons motivos para compores e cantares.

tags: canção de setúbal, crónica, Jorge Nice, música de setúbal, sara chaves

outros artigos de opinião

mais histórias de Setúbal