opinião

A merecida homenagem ao eterno doutor Júlio Adrião

Conhecido como o "médico do povo" deu muito de si a cada setubalense.
Bravo.
O meu avô Zé, típico pescador setubalense com rosto enrugado e pele queimada do sol, chegou a uma altura da vida, já depois de reformado, que se recusava a sair do Bairro Santos Nicolau. Ia à merceria ao lado da taberna onde bebia uns tintos e jogava dominó e comia o peixe que o meu tio lhe trazia todos os dias. 
 
Das muitas poucas vezes que aceitava ir ao médico, só podia ser ao Júlio Adrião, que tinha o consultório umas ruas acima da dele. Homem simples, honesto, verdadeiro e amigo daquelas gentes boas e humildes, o doutor era das pessoas mais queridas do e pelo bairro. 
 
Certo dia, quando percebemos que o que avô Zé tinha era mais grave do que imaginávamos e tivemos de o levar para o hospital, lembro-me que ele ainda se recusou, como se tivesse a quebrar a confiança do Julio Adrião. 
 
A 10 de março de 2019, o conhecido como “médico do povo” morreu e com ele levou muitos abraços e carinhos de centenas de setubalenses que lhe devem e vão sempre dever muito. 
 
Para homenageá-lo foi agora inaugurada uma rua em seu nome. Fica na interseção entre a Rua Rodrigo Ferreira da Costa e a Rua Fonte do Lavra, zona onde Júlio Adrião viveu e mantinha a sua clínica. 
 
Da minha parte fica todo o agradecimento à Telma (sua esposa e boa enfermeira a quem também tanto devo) e filho pelo excelente médico que o doutor Júlio Adrião foi para o meu avô e tios. Será sempre lembrado como merece: como um de nós, verdadeiros setubalenses.
tags: crónica, júlio adrião, médico de setúbal, rua de júlio adrião, setúbal

outros artigos de opinião

mais histórias de Setúbal