na cidade

Esqueça os centros comerciais. Vamos voltar à Baixa e aos pequenos-almoços na Capri

O comércio tradicional de Setúbal continua a existir. Só precisamos de o visitar mais vezes.
A Praça do Bocage.

Prometeu à mãe que fechava a mão com força, como se lá dentro levasse um segredo que não pudesse contar a ninguém. De punho serrado foi em direção às ruas de calçada sem saber bem onde primeiro entrar.

Esta miúda era eu. Tinha para aí 12 anos e acabado de receber a minha primeira nota maior. Podia comprar o que quisesse, disse-me a minha mãe, enquanto pedia uma torrada na Capri. 

O ponto de encontro estava marcado para uma hora depois, mas parecia-me pouco, com o mundo de lojas que tinha para visitar. Começando no Largo da Misericórdia, com paragem na Praça do Bocage, não podia faltar a ida à Zara de três andares, que tinha tanto por onde procurar.

Ainda fiz uma paragem na Pantera Cor de Rosa, onde tanto brinquei ainda sem quase saber andar, mas não havia tempo a perder e umas compras de pré-adolescente para comprar.

Naquela altura, a Baixa parecia demasiado grande para uma miúda como eu, mas acabei por dar conta do recado e desejar fechar novamente o punho com outra nota igual. 

A proesa repetiu-se mais vezes, sempre ansiosa que tivesse mais idade para não ter horas marcadas para voltar à Capri. 

Quando o dia chegou, tal não foi a desilusão, quando vi que aquele mundo tinha levado uma revolução. Tantas lojas fechadas, que fugiram dali para outro lugar. E eu ali a querer mostrar que tinha crescido e tinha tanto tempo para aproveitar.

Percebi que havia muitos lojistas a bater o pé por manter a Baixa tão bonita como ela sempre foi, só faltavam mais pessoas para os visitarem e não deixarem a magia acabar.

É a vocês que me dirijo, meus conterrâneos. Vamos lá deixar os centros comerciais por uns tempos e voltar aos pequenos-almoços na Capri, aos bons dias ao Álvaro da ouriversaria ou à Paula da agência de viagens.

Só falta o senhor das bicicletas, que por motivos de saúde acabou a profissão, mas que o seu trabalho vai ficar para sempre gravado no coração.

tags: baixa de setúbal, capri, setúbal