na cidade

Vai nascer um novo mural dedicado ao ambiente. A pintura é de uma artista com 17 anos

O trabalho será instalado no mesmo local onde foi pintado o último mural, no Baluarte do Livramento, e ficará pronto em dois dias.
Há várias obras de arte pela cidade.

Foi em setembro de 2023 que nasceu o primeiro mural do projeto “Histórias que as Paredes Contam”. “Mulher-Pomba”, pintado a 5 de setembro de 2023 n’A Gráfica, sob a coordenação do artista plástico chileno Alejandro “Mono” González, foi o primeiro. Seguiram-se mais quatro, em diferentes spots da cidade, sempre dedicados ao tema da liberdade.

Desta vez, a cidade ganha um novo mural já este fim de semana, sob o tema da sustentabilidade, no âmbito do Dia Mundial do Ambiente e no mesmo local onde pintaram o último do projeto, no Baluarte do Livramento. O ciclo de murais já estava encerrado, mas decidiu abrir-se uma exceção, “por se ter assistido a uma conjugação de vontades e para celebrar um tema que diz muito à organização”, explicam os responsáveis.

“O proprietário da parede do Baluarte do Livramento onde, a 27 de abril, foi pintado o mural alusivo ao acesso a Tróia, gostou tanto do resultado que nos disponibilizou o restante da parede e os meios materiais para um trabalho futuro”, revela Helena de Sousa Freitas, coordenadora do “Histórias que as Paredes Contam”.

Bia Ulbrich, estudante de Artes Visuais de 17 anos que contribuiu para o quarto e o quinto murais do projeto, “mostrou-se aberta a assumir a planificação artística de uma obra de maior fôlego, sendo que, em termos temáticos, a sua preferência ia para as questões ambientais”, acrescenta a responsável, sublinhando que a jovem irá “fazer a gestão estética de uma área com mais de 70 metros quadrados”.

O desenho.

“A arte pode não atuar diretamente na solução de determinados problemas, mas alerta e inspira as grandes mentes que podem fazê-lo. E esse é o meu objetivo com este trabalho”, declara Bia Ulbrich. E acrescenta: “Habitamos num planeta lindíssimo, mas creio que nem todos o entendem, e o mundo em que vivemos parece morrer aos poucos. Não temos muito tempo, mas ainda temos hipótese de reverter a situação”, defende a jovem estudante, para quem, “se trabalharmos juntos, podemos preservar a natureza”.

Daí a opção pelo tema dos 7 “Rs” da sustentabilidade: repensar, recusar, reduzir, reparar, reutilizar, reciclar, reintegrar. São “ações simples que todos podemos praticar no nosso dia-a-dia para virar o jogo”, destaca Bia Ulbrich, concluindo que a sua geração “terá um grande papel nessa jornada” de mudança em prol de um planeta mais saudável e protegido”.

Com chancela do Monte de Letras, o “Histórias que as Paredes Contam” deve o nome à tese de doutoramento que Helena de Sousa Freitas defendeu no ISCTE-IUL, em 2019, tendo como parceiros a Câmara Municipal de Setúbal, através do programa “Venham Mais Vinte e Cincos”, o Instituto Politécnico de Setúbal, a Associação dos Municípios da Região de Setúbal, juntas de freguesia do concelho, a União Setubalense e a Associação Cultural Festroia.

Recorde ainda o artigo em que revisitámos os cinco locais onde estão pintados os murais do projeto. Carregue na galeria para conhecê-los.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA