na cidade

Setúbal junta-se a uma campanha para colocar microchips nos animais

Chama-se “Dava Tudo para o Ter de Volta?" e pretende sensibilizar a população para a identificação dos animais de estimação.
A campanha decorre no mês de abril.

Muitas vezes quando os animais de estimação se perdem dos seus donos, uma das soluções que podem ajudar a encontrá-los é o microchip. Com o objetivo de sensibilizar as populações para a importância do cumprimento do dever de guarda e da colocação de microchip em cães e gatos, foi lançada a campanha “Dava Tudo para o Ter de Volta?”, do Observatório Nacional para a Defesa dos Animais e Interesses Difusos. 

De acordo com este organismo, “a maioria dos casos de não recuperação de animais de companhia estão associados à falta de coleira com identificação, a passeios sem trela e a acesso ao exterior desacompanhados do tutor”. A campanha, que conta com a colaboração de algumas autarquias, incluindo a Câmara Municipal de Setúbal, é aberta a todos os que queiram participar e inclui uma brochura informativa sobre a temática.

No âmbito do bem-estar animal na cidade, o Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia de Setúbal (CROAC), instalado junto do Parque Municipal de Poçoilos, continua em obras para a melhoria das condições de conforto e higiene dos animais. Este projeto de ampliação e requalificação, da responsabilidade da Câmara Municipal de Setúbal, começou no final de 2019 e tem conclusão prevista para o primeiro semestre do ano.

A instalação de um novo recinto para alojamento em grupo, com uma capacidade total para cerca de 80 animais, é uma das principais ações desta operação, no valor de mais de 110 mil euros. A nova área do CROAC fica organizada em 14 parcelas vedadas (parques), com 70 metros quadrados, para grupos de quatro a seis animais, e equipadas com bebedouros automáticos e comedouros em calha.

Estes parques individuais dispõem de espaços vedados para atividade física, área de ensombramento e uma box modelar de madeira, com iluminação natural para abrigo e pernoita dos animais. O agrupamento dos cães nesta nova valência do canil é feito em função do porte e faixa etária dos animais.

O projeto inclui também a plantação de árvores na entrada e nas envolventes do recinto de alojamento em grupo e do atual canil, a requalificação dos acessos pedonais e rodoviários, a criação de valas de drenagem e a estabilização de áreas de pavimento degradadas por erosão superficial.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA