na cidade

Setor da pesca lúdica e desportiva exige saber a data de regresso das atividades

A Comunidade Piscatória Lúdica/Desportiva de Portugal diz-se "discriminada" pelo governo em relação a outras atividades ao ar livre.
O setor vive num clima de incerteza.

A Comunidade Piscatória Lúdica/Desportiva de Portugal quer saber quando poderá retomar suas atividades no âmbito do novo plano de desconfinamento decretado pelo governo. Numa nota enviada às redações, a comunidade manifestou o seu descontentamento e afirmou que o setor está a ser alvo de “discriminação” por parte do estado, em relação às outras atividades ao ar livre.

“A forma como estamos a ser tratados não pode nem deve ser mantida em silêncio e anonimato, isto porque não é compreensível que uma atividade de lazer ao ar livre seja discriminada por básicas interpretações, que em nada espelham o plano de desconfinamento comunicado pelo primeiro-ministro”, sublinha a comunidade, acrescentando que “as medidas de desconfinamento de atividades físicas ao ar livre até quatro pessoas estão descritas como permitidas a partir de dia 5 de abril”.

No mesmo comunicado, o setor reforçou a sua indignação pelo facto de as várias licenças que são pagas por milhares de praticantes em que se inserem licenças para a prática, bem como todas as licenças para a utilização de embarcação” terem sido sempre cumpridas nesta fase.

Ainda assim, segundo a comunidade, existe um total desprezo por parte de órgãos estatais geridos pelo estado Português, bem como por todos os líderes partidários e os próprios membros do governo, em explicar e definir datas para a reabertura da atividade”.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA