na cidade

Sem carros, mais autocarros e restrições. As novas regras para o acesso às praias da Arrábida

O “Programa Arrábida sem Carros e em Segurança 2024 — Arrábida O2” vai estar em vigor durante a época balnear.
Há novidades.

Foi em 2018 que começou o programa “Arrábida sem Carros”, com o objetivo de reforçar o sistema de transporte público e “limitar o acesso às praias em transporte individual, de forma a acabar com o caos e falta de condições de segurança no acesso às praias na serra da Arrábida”, disse, na altura, a então presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira.

Durante seis anos, este projeto foi implementado, com aumento de carreiras, vigilância do trânsito, encerramento de vias, e claro, resultou numa maior preservação do património natural que é a Serra da Arrábida. Em 2024, a iniciativa, que decorre durante a época balnear, surge novamente, mas com um novo modelo.

A autarquia aprovou, na reunião de dia 17 de abril, um conjunto de novas medidas de mobilidade e acesso às praias. A decorrer de 1 de junho a 15 de setembro, a iniciativa passa a chamar-se “Programa Arrábida sem Carros e em Segurança 2024 — Arrábida O2”, com um reforço da preocupação ambiental.

A autarquia diz que “as condições muito particulares deste território impõem que se estabeleça um modelo específico de mobilidade e acesso às praias do concelho de Setúbal, designadamente para o período correspondente à época balnear, em que se regista maior afluência de utentes”. A introdução do “Arrábida O2” surge com o intuito de aumentar os princípios da sustentabilidade e o respeito pelo território protegido.

Segundo o município, mantém-se a promoção do uso de transportes públicos e de modos suaves de locomoção, acrescendo a “prevenção dos riscos, nomeadamente os associados ao socorro e prevenção de incêndios rurais e florestais”. Estas medidas contribuem para “a redução da emissão dos gases de estufa no concelho, rumo à neutralidade carbónica que o país está obrigado a atingir em 2050”.

Restrições de circulação continuam

“As condições particulares do Parque Natural da Arrábida, com características naturais, morfológicas e ambientais da orla costeira, não se compadecem com a elevada pressão exercida pela circulação e parqueamento irregular de viaturas automóveis, em particular, durante a época balnear”, refere a proposta.

Assim, vai continuar encerrada a Rua Círio da Arrábida, entre o túnel da Figueirinha e o Creiro, devido ao risco de queda de um bloco rochoso fraturado na encosta da serra. O tema, que tem estado em cima da mesa ao longo do último ano, como a NiS tem noticiado, está agora na Secretaria de Estado do Ambiente, do qual “aguardam contacto”, como explicou o gabinete da presidência à New in Setúbal.

Não é possível o acesso às praias de Galapos, Galapinhos e Creiro, a partir de Setúbal, via Figueirinha. Pode fazê-lo de Azeitão ou a partir de Setúbal, via Azeitão. Depois, deve partir do Creiro a pé ou através da utilização de modos suaves de transporte, como trotinetas e bicicletas. Continua o condicionamento às praias de Albarquel, do Creiro e do Portinho da Arrábida, “devido à limitação de estacionamento naquelas áreas e por se tratar de acessos sem saída”.

A circulação automóvel fica interdita diariamente, entre as 7h30 e as 19h30, no acesso à Praia de Albarquel, e entre as 7 e as 19 horas, no troço entre o Creiro e a Praia de Galapos, no acesso à Praia do Creiro, e no troço que conduz ao Portinho da Arrábida, a partir do cruzamento de acesso.

A circulação é autorizada a “veículos de duas rodas, trotinetas, viaturas portadoras de dístico de residente, transportes públicos coletivos regulares, táxis e similares, autoridades e viaturas de emergência e socorro”. Os residentes, comerciantes e concessionários devem solicitar cartões de acesso através do site do município ou do email praias@nullmun-setubal.pt.

No caso dos autocarros, o modelo proposto para este ano é acompanhado de um “acréscimo significativo de horários da linha que serve a Praia do Creiro, como forma de reforçar a deslocação para estas praias com recurso ao transporte público em detrimento do transporte individual”. Todos os horários e carreiras vão ficar disponíveis no site da autarquia.

As viagens continuam incluídas nas diversas modalidades do passe navegante, com carregamento nos locais habituais, sendo igualmente possível a aquisição de bilhetes a bordo dos transportes, por 2,6€, e a utilização do serviço de zapping. No que toca ao estacionamento, “para reforçar a necessidade de combater o estacionamento abusivo, a autarquia estabelece o incremento da sinalização rodoviária, designadamente de proibição de estacionamento, e formaliza e ordena os espaços de estacionamento para viaturas de duas rodas e rodado duplo”, indica o documento.

A Praia da Figueirinha tem 240 lugares tarifados, com custos variáveis. Além do Parque da Secil, com 180 lugares de estacionamento, a Praia do Creiro tem 140, com uma bolsa gerida pela Associação Baía de Setúbal, igualmente paga. Há painéis informativos quanto à disponibilidade de lugares existentes, mas pode ainda descarregar uma aplicação que lhe mostra tudo em tempo real.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA