na cidade

Sabia que já houve uma fábrica romana de salga de peixe na Praça do Bocage?

No Dia do Bocage e da Cidade, a New in Setúbal conta-lhe a história da famosa praça sadina.
Antiga Praça do Sapal, em 1867. Registo de Antero Seabra, do Arquivo Fotográfico Américo Ribeiro.

A Praça do Bocage é, sem dúvida, uma das imagens de marca de Setúbal. No coração da Baixa, é ponto de paragem obrigatória para os turistas que visitam a cidade e não resistem a tirar uma fotografia à estátua em homenagem ao poeta sadino.

O que provavelmente muitos não sabem é que esta praça teve outro nome e uma configuração diferente da atual. No Dia da Bocage e da Cidade assinalado nesta terça-feira, 15 de setembro, a New in Setúbal conta-lhe algumas curiosidades históricas sobre esta zona da cidade.

A ocupação do espaço começou no século I, com a instalação de uma fábrica romana de salga de peixe, que esteve a funcionar perto de dois séculos. Com a queda do Império Romano do Ocidente, a fábrica ficou ao abandono. Só durante a reconquista cristã é que os territórios se voltaram a repovoar.

Porém, a configuração da praça, conhecida anteriormente como Praça do Sapal, por estar numa zona alagada, começa a desenhar-se no século XV com a construção de uma fonte abastecida pelo aqueduto e mandada construir pelo rei D. João II, em 1487.

Inicialmente, a estrutura foi colocada no centro da praça mas em 1533 foi deslocada para a frente dos Paços do Concelho, sendo em 1697 substituída por outra que ali ficou até 1937, ano em que foi transferida para a Praça Teófilo Braga. 

Segundo o trabalho “Monografias de S. Julião”, coordenado por Maria Conceição Quintas, “a Praça do Sapal foi o local escolhido, após várias tentativas frustradas, para a colocação do monumento a Bocage, construído por iniciativa de António Feliciano de Castilho, com fundos angariados por subscrição pública no Brasil e em Setúbal através da impressa local. A partir de então, deixou de se chamar Praça do Sapal para tomar o nome do ilustre setubalense”. 

A Praça do Bocage na atualidade.

A alteração do nome Praça do Sapal para Praça do Bocage foi feita em 1865. Já o monumento em homenagem ao poeta foi inaugurado a 21 de dezembro de 1871. “Sobre uma coluna coríntia, assente sobre quatros degraus oitavos, eleva-se a estátua do poeta feita em mármore branco. Bocage, com a cabeça descoberta e levemente inclinada, vestido à sua época, empunha na mão direita uma pena de ave e segura na esquerda algumas folhas de papel”, pode ler-se na investigação “Monografias de S. Julião”.

Praça do Bocage, 1951. (Arquivo Fotográfico Américo Ribeiro/CMS).

Mais tarde, as imagens recolhidas pela lente do fotográfico Américo Ribeiro mostram que a Praça do Bocage teve trânsito automóvel nos anos 50, sendo uma importante artéria da cidade.

tags: Dia do Bocage e da Cidade, estátua, Praça do Bocage, Praça do Sapal, setúbal

outros artigos de na cidade

mais histórias de Setúbal