na cidade

Porto de Setúbal prepara-se para receber navios de cruzeiro este ano

Para 2024, está prevista a chegada de quatro embarcações. A primeira atracagem deverá ser na altura da primavera.
O navio Le Lyrial, que atracou na cidade em 2019.

Em novembro de 2019, o Porto de Setúbal recebeu, pela primeira vez, no molhe exterior da Doca dos Pescadores, um navio-cruzeiro de médio porte, que escolheu a cidade como ponto de partida para uma viagem com destino ao Uruguai. O navio Le Lyrial, do armador francês Ponant, esteve atracado dois dias e despertou, na altura, a curiosidade dos setubalenses.

Segundo o que a New in Setúbal conseguiu apurar, o Porto de Setúbal vai começar a receber navios de cruzeiro, ainda este ano, através de um projeto que se encontra em desenvolvimento. Estão previstas quatro escalas, sendo que a primeira será durante a primavera. A embarcação irá atracar na Doca dos Pescadores.

“Estamos empenhados na estratégia do conselho de administração da APSS, e também de Lisboa, em apostar e investir fortemente em Setúbal. Percebemos as oportunidades que existem com o aumento dos cruzeiros. Há uma transformação, atualmente, a nível da sustentabilidade ambiental que se enquadra na estratégia da região que nós, enquanto Porto, temos definida”, explica à NiS António Caracol, responsável pela administração do Porto de Setúbal.  

A aposta no aumento do turismo, além da exportação e importação de matérias e produtos, é outro ponto a destacar neste projeto, que traz “desenvolvimento” para a região. “Achámos que era o momento de apostar na criação das condições para termos navios-cruzeiro, em Setúbal. Este é um serviço de complementaridade e não de competição com Lisboa, que atingiu um recorde a nível de cruzeiros, de 347 escalas, e mais 700 mil passageiros. Setúbal terá a mesma oportunidade, com infraestruturas, além das condições naturais que a cidade tem. Temos conhecimento que existem alguns cruzeiristas com itinerários turísticos, que passam pela nossa região”, acrescenta.

A primeira escala, a decorrer dentro de poucos meses, vai realizar-se “numa fase embrionária”. “Não vão existir, ainda, as condições que gostaríamos de ter. Estamos a tentar atrair outros parceiros importantes para estarem connosco neste projeto e, ao mesmo tempo, vamos avançando com o trabalho, com as entidades envolvidas e competentes, a quem agradecemos a colaboração, para que tudo corra dentro da normalidade e com eficácia”, sublinha.

E acrescenta: “Os passageiros devem ter uma boa experiência. É importante dar sinal de bom acolhimento, de cumprimento de todas a regras. Nesta primeira fase, penso eu, até ao final do ano, temos menos infraestruturas do que as que desejaríamos, mas estamos a trabalhar para incorporar no projeto, que já está numa fase maturada, todas as necessidades. Vamos, depois, começar os concursos e obter a certificação necessária do Cais para ter uma atividade mais contínua e madura”.

O tipo de cruzeiros em Setúbal será diferente dos que atracam em Lisboa, até porque o “target é diferente”, além das condições de galado. Serão navios de “porte menor”, o que acaba por ser uma “mais-valia”. Por norma, os cruzeiristas “têm uma capacidade económica superior”. Ou seja, há mais possibilidade de investir e comprar no comércio e nos serviços locais.

O ano de 2023 marcou os 100 anos do Porto de Setúbal. O objetivo da instituição é “reforçar e promover o importante papel do Porto no desenvolvimento económico e social da região e a sua envolvência com a cidade”.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA