na cidade

Pátio dos 8: o adorável alojamento no Alentejo para fugir à agitação urbana

Foi criado por uma família com oito membros, e até a filha de cinco anos ajudou. Tem piscina e está imerso na natureza.
É super pacífico.

“Parar é morrer”. É este o lema de vida de Filipa Branco, de 44 anos, e Sérgio Mateus, de 47. Durante os primeiros confinamentos, não se limitaram à rotina caseira nem ao teletrabalho. Decidiram aproveitar o tempo livre para criarem um dos mais recentes alojamentos do Alentejo, o Pátio dos 8, que abriu em março deste ano.

Filipa tem uma agência de viagens, Sérgio trabalha na área da comunicação e estão juntos há vários anos. Partilham em comum, há 11 anos, uma família com seis filhos. “Somos uma família numerosa e daí este nome. Quisemos criar um espaço com bom ambiente e que se enquadrasse no nosso perfil.”

Compraram uma propriedade em Fornalhas Velhas, fizeram uma remodelação profunda, e tudo o que lá encontramos foi pensado por eles. “Não somos arquitetos. Mostrámos à empresa que remodelou a casa aquilo que queríamos, a partir de viagens realizadas nos últimos anos, um pouco por todo o Alentejo, e fotografias de outros projetos na Internet”, acrescenta.

Sempre foram apaixonados pelo Alentejo e Sérgio tem família nas redondezas, em Alvalade do Sado. A região é o destino perfeito para quem pretende fugir à agitação da cidade, algo que necessitavam cada vez mais.

Quando começaram as obras, em setembro de 2021, não houve quem não ajudasse. “Todos participaram, até a mais pequenina de cinco anos. Carregavam material, foram connosco às compras. Nas férias, estivemos alguns dias a tirar os móveis que já existiam na casa”, recorda a mãe. Apesar das alterações, havia algo que sabiam que não podiam mudar: o traço tipicamente alentejano da arquitetura. Porém, deram-lhe um toque contemporâneo.

O resultado deu origem “ao pátio mais simpático do Alentejo, onde o amor e a paz se traduzem na experiência das pessoas”. A mais recente hóspede é uma turista espanhola, “que está completamente encantada”. “Foi tudo feito com muita dedicação, e isso passa para o cliente”, de acordo com a proprietária.

É, para eles, uma casa normal e acolhedora, sem grandes adornos. Muitas das peças foram compradas em lojas de velharia ou peças originais de materiais reciclados. Inclui também uma piscina e uma biblioteca repleta de livros, tanto para os adultos como para os miúdos. Um dos grandes destaques é, contudo, o gira-discos antigo no qual pode ouvir a coleção de LP. Pode pô-los a tocar ao fim da tarde ou assim que acorda, para começar bem o dia.

À sua volta, pode contar com a atmosfera tranquila do Alentejo, que convida a passeios pedestres e de bicicleta — que estão disponíveis no alojamento. “Há um grande contacto com a natureza. É comum andar a passear e ver um coelho a saltitar.” Também pode andar ao pé raposas, vacas e muitos outros animais.

A casa está a aproximadamente 25 quilómetros do Cercal do Alentejo, o que significa que estará ainda perto de Porto Covo, Vila Nova de Milfontes e da Praia do Malhão, para quando quiser dar um mergulho. Nas palavras de Filipa Branco: “É o alojamento perfeito para quem quer conhecer a Costa Vicentina”.

O valor da estadia depende sempre do número de pessoas. Durante a época baixa, uma noite para dois hóspedes custa 90€. Durante a época alta, o valor sobe para cerca de 120€, e o valor vai sendo atualizado dependendo do número de pessoas que vai habitar a casa.

Carregue na galeria e fique a conhecer melhor este Pátio dos 8.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA