na cidade

OMS afirma que a nova estirpe da gripe suína na China não é preocupante

Um estudo indicava que poderia irromper uma nova pandemia, mas os especialistas da organização afirmam que a situação está sob vigilância.
A garantia foi dada pela Organização Mundial da Saúde.

Esta quarta-feira, 1 de julho, a Organização Mundial da Saúde (OMS) desvalorizou informações sobre uma estirpe do vírus da gripe suína descoberta na China. Um estudo divulgado na segunda-feira, 29 de junho, indicava que poderia irromper uma nova pandemia, mas os especialistas da organização indicaram que a situação está em vigilância desde 2011.

Durante uma conferência de imprensa online a partir da sede de Genebra, na Suíça, sobre a Covid-19, os representantes da OMS afirmaram que esta não é uma nova estirpe. A China também já tinha feito as mesmas declarações durante o dia.

O estudo publicado na segunda-feira na revista americana “Proceedings of the National Academy of Sciences” revelava que esta estirpe poderia não ser um problema a curto prazo, mas que tinha potencial para afetar humanos de uma forma global e por isso teria de ser já acompanhada.

Uma das conclusões do estudo passava por aplicar medidas rápidas para que exista um controlo neste tipo de animais e na indústria do setor, indicando um vírus idêntico ao da gripe suína que foi identificado pela última vez em 2009, mas com algumas mudanças.

Segundo a “BBC”, já foram identificados casos de infeção em trabalhadores de matadouros na China. As vacinas da gripe que atualmente estão a ser administradas podem, se forem ajustadas, conseguir proteger contra esta estirpe.

tags: Covid-19, estirpe, gripe suína, OMS, pandemia

outros artigos de na cidade

mais histórias de Setúbal