na cidade

Jorge Nice: “Sinto falta do rio Sado”

O cantor respondeu ao questionário da New in Setúbal sobre este confinamento.
Jorge Nice já escreveu vários temas sobre a cidade do Sado.

Chama-se Jorge Leandro mas os setubalenses tratam-no por Jorge Nice. O mega fenómeno musical de Setúbal é conhecido por animar as festas com músicas que são um verdadeiro hino à cidade. Apesar de ter nascido em Algés, afirma-se como “setubalense de gema”. “Alma Charroca”, “I Got The Filetes” ou “Vitória para Sempre” são alguns dos temas míticos do repertório do cantor.

Jorge Nice foi a segunda personalidade da cidade a aceitar o desafio de responder ao questionário da New in Setúbal sobre o confinamento. Falou das séries que está a ver, da falta que sente do rio Sado e de como já não pode ver pescada cozida e perca do Nilo.

Com quem é que está a passar o confinamento?
Estou a passar com a minha mulher. 

Qual é a série de televisão que está a ver neste momento?
“Vikings” e “Os Tudors”.

Recomende-nos um livro que nunca devemos ler durante a pandemia.
Qualquer livro sobre tragédias ou catástrofes.

Aproveitou este período para ver algum filme clássico?
O “Cinema Paraíso”, de Giuseppe Tornatore.

Qual é a peça de roupa que mais repetiu durante estes dias?
Pijama. 

Conte-nos o motivo da sua maior discussão familiar nesta fase?
Quem é que arruma as coisas, faz a comida e lava a loiça lá em casa.

Depois deste confinamento, qual é a comida que nunca mais vai querer ver à frente?
Perca do Nilo.

Tem feito algum tipo de exercício físico?
Não tenho feito nada. 

Qual é o local da cidade de que tem mais saudades?
Do rio Sado.

Conte-nos aquele momento em que o tédio o levou a fazer o impensável.
Felizmente esse momento não existiu.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA