na cidade

Há uma tradição secular de Setúbal que está a renascer

A marca Serra Azul deu uma nova vida à receita do Licor de Laranja de Setúbal.
A prenda de Natal perfeita. Foto: Pedro Figueiras.

Atenção, setubalenses o famoso Licor de Laranja está de volta. Pois é. Talvez as gerações mais jovens não saibam, mas antes mesmo do moscatel e dos vinhos, as laranjas eram o grande ex-libris da região conhecidas dentro e fora do País.

Aproveitando o desenvolvimento do cultivo da laranja nos séculos XVIII e XIX, a primeira marca a comercializar o produto foi a Fábrica da Âncora, em Lisboa. A empresa produzia a receita original do licor, utilizando as plantações de laranjas da região de Setúbal. Em 1970, quando esta fechou, a tradição perdeu-se e só voltou a ver a luz do dia, em dezembro de 2017.

André Lopes, 33 anos, formado em História e Geografia e atualmente a trabalhar na função pública foi o responsável pelo ressurgimento desta bebida icónica setubalense. Há três anos quando começou a pesquisar sobre as tradições de Setúbal, descobriu que no passado existiu este licor, mas que ninguém estava a produzi-lo. Como achou que seria um “bom nicho de mercado” decidiu lançar a marca Licor de Laranja de Setúbal Serra Azul, em dezembro do ano passado, numa referência à Serra da Arrábida e ao azul do Rio Sado.

À New in Setúbal conta que o produto “é muito mais que um licor, é um reavivar de memórias e histórias, que fazem parte do quotidiano setubalense”. O licor é feito de cascas de laranja, água, 18% de álcool e açúcar. É 100% natural e pode ser bebido simples, em cocktails ou aplicado em receitas de doces regionais. As cascas são colocadas no álcool durante cerca de quatro meses, desde o período da apanha ao engarrafamento. As laranjas utilizadas são produzidas na Baixa de Palmela, Quinta da Várzea e Algeruz.

As garrafas numeradas estão limitadas à produção anual de dez mil exemplares. O fundo da imagem do rótulo muda todos os anos, através de uma votação online, na página de Facebook e Instagram da marca. A ilustração é da autoria do designer setubalense Pedro Figueiras, que tentou criar uma versão mais moderna da rotulagem antiga. A imagem atual é uma vista do Forte de São Filipe, sendo que o objetivo é que as garrafas se tornem objetos de coleção.

A marca não tem uma loja física, vende sobretudo em mercados, feiras e alguns espaços da cidade. Até dia 24 de dezembro, segunda-feira, vai estar presente no Mercado de Natal da Praça do Bocage. O preço de venda em feira é 15€/500 ml, variando nos restantes locais.

Bom dia.Visite-nos no Mercado de Natal, na Praça do Bocage até ao próximo dia 24 de Dezembro.Estamos abertos todos os dias das 10h às 19h.Torne o seu Natal mais agradável comprando no comércio tradicional.

Publicado por Licor de Laranja de Setúbal – Serra Azul em Segunda-feira, 10 de Dezembro de 2018

Também pode encontrar o licor na Casa da Baía, Loja Coisas de Setúbal, Mercearia Confiança de Troino, Moinho de Maré da Mourisca, pastelaria Doces Suspiros, Presuntos e Companhia, Mafaria ao Largo, papelaria Olhó Jornal, Bifanas de Vendas Novas (B3), Erva Doce, Não Sei, Setúbal in Art, Garrafeira Todi, Mercado do Vinho, Casa Mãe da Rota dos Vinhos, em Palmela e nos restaurantes Lisboa à Vista e 100 Peneiras, no Seixal.

A maioria dos clientes dos mercados são setubalenses e pessoas da região. Já nos pontos de venda turísticos são mais estrangeiros sobretudo espanhóis e franceses, alguns residentes em Setúbal. Para o ano, o objetivo de André Lopes é expandir a marca, com a criação de uma nova garrafa de 100 ml para facilitar o transporte e o lançamento de produtos regionais como complemento ao licor.

Quem manda nisto tudo

Nome: André Lopes
Idade: 33
Bebida favorita: Água
Guilty pleasure: Chocolate
Convença-nos a visitar o espaço: “Desde que apareceu o licor, Setúbal está mais doce”

tags: Baixa, Fábrica da Âncora, feiras, Licor de Laranja de Setúbal, lojas, Mercado de Natal, Praça do Bocage, Serra Azul, tradição