na cidade

Forte de Albarquel abre ao público no início de 2019

As obras de requalificação terminam no primeiro trimestre do ano, revela à New in Setúbal a Presidente da Câmara Municipal.
O projeto vai restituir a arquitetura original do Forte.

Encerrado há vários anos, o Forte de Albarquel vai voltar a abrir ao público já nos primeiros meses do próximo ano. A garantia é da Presidente da Câmara Municipal de Setúbal. À New in Setúbal, Maria das Dores Meira, explica que as obras de requalificação do monumento que fica na barra norte do Rio Sado, vão ficar concluídas durante o primeiro trimestre de 2019. Segundo a autarca, os trabalhos da obra que arrancou em setembro estão a avançar a “bom ritmo”. 

O Forte de Albarquel foi cedido à Câmara Municipal pelo Ministério da Defesa. O principal objetivo do projeto é restituir a arquitetura original do edifício. Depois de estar abandonado durante décadas e sujeito a atos de vandalismo, a autarquia celebrou um memorando de entendimento em agosto de 2016 com a fundação The Helen Hamly Trust, que vai investir os 900 mil euros na obra de recuperação.

Trata-se uma adjudicação repartida, em que a autarquia é responsável pela parte financeira, ao nível dos arranjos exteriores, estrada de acesso, passeios, bermas e parque de estacionamento. Já a fundação sediada em Londres compromete-se a restaurar o interior e exterior do monumento.

O espaço vai ter essencialmente fins culturais e pedagógicos, nomeadamente uma componente expositiva, com a instalação de um núcleo museológico aberto à população e sobretudo aos alunos dos vários anos de escolaridade. “Queremos mesmo que tenha uma grande vertente educativa e pedagógica. A ideia é que os miúdos das escolas visitem o monumento, façam atividades relacionadas com a ligação de Setúbal ao mar e conheçam melhor a nossa história”, explica.

Outra das valências vai ser a utilização do espaço para espetáculos, como concertos de música de câmara, recitais de poesia, teatros, entre outros. Funcionará ainda como sala de visitas da cidade para receber as altas individualidades, como corpos diplomáticos, delegações estrangeiras, investidores e empresas.

Os trabalhos arrancaram em setembro.

No futuro, a zona envolvente do monumento histórico vai acolher uma unidade hoteleira prime do Grupo Libertas Investimentos Imobiliários, que comprou em abril de 2016 o terreno para construção, com cerca de dois hectares, junto ao Forte, num leilão de imóveis do Estado. Segundo a responsável máxima do executivo camarário, a recuperação do Forte de Albarquel vai contribuir para consolidar a estratégia da Câmara Municipal de Setúbal de requalificação do edificado patrimonial e histórico.

O Forte de Albarquel começou a ser construído em 1643 no reinado de D. João IV, quando o monarca decidiu reformular a política de defesa do reino após a restauração da independência nacional, em 1640. A fortificação militar só foi terminada no domínio de D. Pedro II e serviu para proteger a população sadina dos ataques marítimos, integrando a linha defensiva da costa entre Setúbal e Sesimbra. No total, o edifício tem dois pisos e no passado foi residência do governador militar do Forte, secretaria, quartel e armazém de material de guerra.

tags: 2019, Cultura, educação, escolas, Forte de Albarquel, monumento, obra, requalificação, visitas