na cidade

Fizemos um percurso do Arrábida Walking Festival e contamos-lhe tudo

A Serra da Achada tem vários spots para explorar em família. A NiS mostra-lhe os pontos de interesse mais giros deste trilho.
As vistas são incríveis.

Depois de ter sido adiado várias vezes por causa da pandemia, o Arrábida Walking, o primeiro evento para descobrir o património arqueológico do Parque Natural da Arrábida através de caminhadas, decorreu no último fim de semana, nos dias 28 a 30 de maio.

Para esta edição, a organização da Biotrails definiu uma Grande Rota Arqueológica, complementada com uma seleção de outros percursos entre os concelhos de Palmela, Setúbal e Sesimbra.

A New in Setúbal fez o trilho da Serra da Achada no passado domingo, 30 de maio, e mostra-lhe os pontos arqueológicos mais giros para explorar no seu próximo passeio em família. O percurso, de 12 quilómetros e dificuldade média, começou na Quinta De El Carmen. Depois de uma breve descida por trilhos de terra batida entre vegetação, o grupo fez uma paragem no primeiro ponto de interesse arqueológico: a Roça do Casal do Meio, na Serra do Risco.

Segundo os registos históricos, a estrutura é do século X antes de Cristo e conserva vestígios de um antigo sepulcro. Identificado nos inícios dos anos 60 por Octávio da Veiga Ferreira e Georges Zbyszewski, este monumento funerário foi usado na época do Bronze Final. Apesar de ter sido encontrada em meados dos anos 60 só começou a ser escavada dez anos depois. Em 1982, a Roça do Casal do Meio foi classificada como Imóvel de Interesse Público.

A Roça do Casal do Meio.

O Castelo de Sesimbra foi outro dos pontos de interesse arqueológico do percurso. Este é o último dos castelos portugueses e foi classificado como Monumento Nacional em 1910. As origens do Castelo de Sesimbra remontam ao século IX, período da ocupação muçulmana do território. 

No seu interior existem duas exposições permanentes sobre a sua história, um centro de interpretação do património, uma igreja e um cemitério desativado. No circuito arqueológico, os visitantes podem percorrer as muralhas e desfrutar de uma vista privilegiada da vila de Sesimbra e da região.

Apesar de o percurso não ser dos mais difíceis, há algumas descidas e subidas acentuadas, o que abriga os caminhantes a fazer pausas para descansar e beber água. Pelo meio do trilho da serra da Achada vai encontrar várias vistas panorâmicas sobre o mar e o concelho de Sesimbra. 

O percurso terminou na Fortaleza de Santiago, construída há mais de 365 anos, no coração da vila de Sesimbra. No início, a sua função foi essencialmente de defesa dos ataques marítimos dos espanhóis e dos piratas, que comercializavam escravos. 

Depois de várias obras de reabilitação, a Fortaleza de Santiago abriu ao público em julho de 2014. Os visitantes podem perceber as funções originais de cada espaço, desde a zona dos paióis até à casa do Governador, passando pelas camaratas. Em 2016, o monumento acolheu o Museu Marítimo de Sesimbra, que dá a conhecer a história do mar, da pesca e da comunidade piscatória desde os primeiros tempos até à atualidade.

Além da Biotrails, o Arrábida Walking Festival foi co-organizado pelos municípios de Palmela, Setúbal e Sesimbra com o patrocínio da Associação Baía de Setúbal. A Biotrails é uma empresa, com sede em Palmela, que oferece várias experiências ao ar livre, como tours pela serra, caminhadas e atividades de birdwatching.

A Fortaleza de Santiago em Sesimbra.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA