na cidade

Feira Medieval de Palmela arrancou esta sexta-feira

A entrada no recinto só é permitida através de pulseira. Saiba tudo o que pode fazer.
O cortejo a passar pelas artérias da vila.

É oficial: a Feira Medieval de Palmela (FMP) está de regresso depois de ter sido cancelada em 2020 por causa da pandemia. O evento está marcado para este fim de semana, 23 a 25 de setembro, no centro histórico da vila de Palmela, mais precisamente no Castelo de Palmela e zona circundante devidamente identificada. No primeiro dia, a festa tem início às 17 horas e encerra à meia-noite. Já nos dias 24 e 25 de setembro, sábado e domingo, as portas abrem às 14 horas, sendo que no sábado fecham à meia-noite e domingo às 23 horas.

O acesso ao recinto é feito através da colocação de pulseira no visitante. Será, então, implementado um controlo de entrada em vários locais do seu perímetro, recorrendo ao sistema de bilheteiras e de gestão de acessos. Não se efetuarão trocas ou devoluções de ingressos adquiridos. No que toca ao preço da entrada, para um dia custa 3€ e para os três dias, o valor é de 6€. A pulseira para visitantes com idade igual ou inferior a 12 anos é gratuita, sendo que pode ser pedido o documento de identificação à entrada.

Nesta edição pode contar com um posto de informação turística bem como o de acolhimento ao visitante, casas de banho e estacionamento gratuito próximo do local. O acesso a pessoas com mobilidade condicionada também está assegurado. 

Caso vá até à feira não precisa de ir vestido a rigor. No entanto, existe um serviço de aluguer de trajes típicos da época medieval junto à entrada do recinto da Feira Medieval, contribuindo para o reforço da identidade do evento. Este serviço é assegurado pela ALIUSVETUS — Associação Cultural História e Património.

O aluguer de traje inclui o ingresso de entrada (pulseira) no recinto. Os preços para um dia são 10€; para dois 13€ e o passe diário é de 15€. O aluguer tem caução de 10€, que será devolvida no momento em que entregar o traje.

Fazem parte da área da feira a Igreja Santiago, a Igreja Santa Maria, Revelim Norte, Terreiro do Relógio, Praça Armas, Liça, Tabernas, Anfiteatro, Torre Menagem, entre outros pontos. Não há multibanco no recinto. 

No que diz respeito ao programa, esta sexta-feira, dia 23 de setembro, pode contar com músicas, Anymamundy, Companhia Jenus, Flor de Lótus — ATA Dança, Gaiteiros D’Trago|, Gárgula, Grupo de Danças Antigas de Alhos Vedros Jograis D’El Rei Mocisso X |Tentart e Comunidade Local, no recinto da feira, até à meia-noite.

Em simultâneo, na Igreja de Santiago, às 21h30 e às 22h30 pode assistir a Les Musiciens du Royaunne. No Revelim Norte (acampamento artesãos e ofícios), há oficina de fogo — velhos tempos, às 22 horas. A demonstração de voo livre — Artfalco/Asas com Vida e a Apresentação de Armas — Espada Lusitana é feita na Liça, às 21 horas e 22h30, respetivamente.

Da Liça para a Igreja de Santiago haverá cortejo noturno com Espada Lusitana, Cavaleiros Ribadouro, AGAPE, Orquestra de Percussão Bardoada — O Grupo do Sarrafo e Alius Vetus. No anfiteatro, pode assistir ao Espetáculo de Fogo ‘Oriental Ensemble’ — Anymamundy, às 22 horas e Danças Medievais, com Leónia Oliveira e Os Recanto às 23 horas. O recinto fecha à meia-noite. 

No dia 24 de setembro, sábado, a abertura da feira é às 14 horas. Entre as 15 horas e a meia-noite, há diversas animações, como é o caso de músicas e bailias e outras folias, ATA Ação Teatral Artimanha, Anymamundy, Companhia Jenus, Flor de Lótus — ATA Dança, Mocisso X , Tentart e Comunidade Local, Grupo de Danças Antigas de Alhos Vedros, Gárgula, Jograis D’El Rei, no recinto da feira.

A planta do recinto.

Os adultos terão a oportunidade de fazer uma caminhada pelas veredas da Serra do Louro. Neste percurso, os participantes com e sem deficiência visual vão vivenciar sensorialmente as dinâmicas medievais, descobrindo a textura dos objetos, os cheiros, os sons do ambiente e a música da época. O início do evento está agendado para as 17 horas, na Quinta do Anjo, num local a definir. Numa distância de seis quilómetros e com a duração de duas horas e meia, este desafio tem grau de dificuldade fácil.

O preço é 10€ e inclui a entrada na feira medieval e um moscatel que será oferecido no final da caminhada. O ponto de partida será o Cabeço das Cacas, sendo o ponto de chegada o Moinho da Fonte do Sol. Para reservar ou saber mais informações, basta ir ao site da organização Biotrails.

Na Igreja de Santiago, assista a Musiciens du Royanne, às 15, 16, 17, 18 e 21 horas. O Grupo Coral Sociedade Filarmónica União Agrícola, atua às 18h30 e às 22 horas, no mesmo local. Já as Danças Orientais com Flor de Lótus serão às 19h30 e às 23 horas.

No Revelim Norte (acampamento artesãos e ofícios), pode participar na oficina fabrico queijo — Arlcosa, uma demonstração da arte milenar do fabrico de queijo, às 15 e às 19 horas. Às 18 horas, há Oficina de Caligrafia e Iluminura – Agape. Já às 19 e 22 horas, envolva-se na Oficina Cota de Malha — Agape e na Oficina do fogo — Velhos Tempos, respetivamente. 

No dia 25 de setembro, domingo, no terreiro do relógio pode ver o espetáculo multimédia “O Castelo”, uma estória, contada pela sonoplastia e vídeo mapping, direção musical e artística do maestro Miguel Madaleno e Orquestra Nova de Guitarras.

Com organização da autarquia de Palmela, a feira medieval pretende dar à população e visitantes uma visão do que a vila terá sido no passado e mostrar a sua importância incontornável na história de Portugal. O tema este ano é “Mesteíraís e outras gentes na Palmela do século XII”. Não é admitida a entrada de animais no recinto, exceto cães-guia.

Para conhecer o programa em detalhe pode visitar o site do município de Palmela. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA