na cidade

Engenheiros setubalenses estão a produzir viseiras para profissionais de saúde

O material de proteção é feito com recurso a impressoras 3D.
As viseiras podem ser reutilizadas. Foto: CMS.

Desde que o surto de Covid-19 chegou a Portugal têm-se multiplicado os pedidos de ajuda de profissionais de saúde para a produção de máscaras, viseiras, batas, gel desinfetante, e outros materiais médicos de apoio. Para ajudar a combater o novo coronavírus, uma equipa de três engenheiros mecânicos de Setúbal está a produzir centenas de viseiras para os profissionais de saúde locais, através de impressoras 3D. 

Eurico Assunção, Luís Fialho e David Barbosa trabalham na FAN 3D, empresa especializada em consultadoria de engenharia e que presta apoio para a indústria de impressão a três dimensões. As viseiras estão a ser feitas desde o dia 4 de abril, sábado, num dos edifícios do Parque Municipal de Poçoilos, cedido pela Câmara Municipal de Setúbal.

Não ganhamos nada com isto. Simplesmente, readaptámo-nos. A produção das viseiras vai aumentando de dia para dia, à medida das necessidades”, explica Luís Fialho, da start-up portuguesa FAN 3D, que já produziu mais de duas mil viseiras para todo o País.

A ideia surgiu quando o responsável pela empresa, Eurico Assunção, falou com uma vizinha enfermeira, que lhe disse que as unidades de saúde não tinham equipamento de proteção suficiente. A partir daí iniciaram a produção. “As viseiras foram testadas e validadas pelos profissionais de saúde e são reutilizáveis, o que quer dizer que podem ser esterilizadas”, explica Luís Fialho.

A empresa já produziu mais de duas mil viseiras para todo o País.

Outro exemplo de ajuda ao combate do novo coronavírus no concelho de Setúbal é a campanha municipal Solidariedade Entre Linhas, que nasceu da vontade de uma dupla de costureiras das marchas populares de fazerem botas e máscaras para entregar ao Hospital de S. Bernardo. O projeto estendeu-se já a outros voluntários que queiram costurar materiais de proteção, oferecer tecidos ou apoiar na logística de distribuição dos tecidos e na recolha do produto final para entrega.

tags: coronavírus, engenheiros, impressoras 3D, profissionais de saúde, setúbal, viseiras

outros artigos de na cidade

mais histórias de Setúbal