na cidade

Covid-19: o uso de luvas não diminui o risco de contágio (e pode até aumentá-lo)

O alerta já foi feito diversas vezes e o mais recente vem da Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor.
Atenção.

O novo coronavírus apareceu sem avisar ninguém e deixou a nossa vida totalmente do avesso. Obrigou a população mundial a assumir uma nova rotina que, entre outras coisas, inclui o uso de equipamentos de proteção individual, como a máscara, algo que era pouco comum na Europa. No entanto, nem todos são úteis para travar o contágio — e alguns até podem aumentar o risco.

O uso de luvas pela população como medida de proteção contra o novo coronavírus pode levar as pessoas a negligenciarem as práticas de higiene das mãos”, alerta a Deco numa publicação feita no site oficial a 30 de julho.

Neste momento, explica, não existem quaisquer evidências para recomendar à população o uso regular de luvas como medida preventiva no contexto da pandemia da Covid-19, conclui um relatório do Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC). Também a Direção-Geral da Saúde já o referiu diversas vezes, alertando para a falsa proteção de segurança que este equipamento pode provocar.

Também a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor fala disso: “Desta forma, lavar ou desinfetar as mãos pode ser negligenciado quando é um dos aspetos mais importantes para a prevenção da transmissão do SARS-CoV-2.”

Atenção.

Quem deve usar luvas durante a pandemia?

As luvas como proteção estão recomendadas apenas para uso em contexto profissional na área da saúde. É um equipamento habitual que os profissionais de saúde utilizam para reduzir o risco de contaminação com sangue ou outros fluidos corporais,  incluindo contacto com a pele não intacta e membranas mucosas.

Para a população, a única exceção são as pessoas que moram com alguém que tem a doença ou que prestam cuidados diretos a um infetado.

Além disso, avisa a Deco, como efeito colateral, o uso prolongado de luvas contribui para possíveis problemas dermatológicos, se não cuidar da pele. “As luvas podem causar alergia, sobretudo para os que são alérgicos ao látex. O uso desnecessário de luvas diariamente por milhões de pessoas no mundo resulta ainda na geração de resíduos desnecessários, com impacto ambiental”, explica.

Que cuidados deve ter se usar luvas na mesma?

Se o fizer, não pode mesmo descuidar-se dos cuidados básicos. Como pode ter as mãos ou as luvas contaminadas, é essencial que lave adequadamente as mãos com água e sabão. Se não tiver essa possibilidade, use uma solução à base álcool. “Nunca se podem desinfetar luvas descartáveis”, alerta — vão diretamente para o lixo indiferenciado.

O método de lavagem é simples: uma das primeiras coisas fazer é retirar anéis, pulseiras ou relógio e depois, sim, molhar as mãos. Há quem pense que basta aplicar sabão sobre as mãos e esfregar as palmas das mãos uma na outra. Mas há muitos outros pormenores a ter em conta. 

De acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS), é necessário esfregar com a palma no dorso, com os dedos entrelaçados, à frente e atrás; esfregar palma com palma, ainda com os dedos na mesma posição; e o dorso dos dedos na palma oposta. Os polegares devem ser esfregados no sentido rotativo. E as pontas dos dedos nas palmas das mão oposta.

Outro dos movimentos esquecidos, e considerado bastante importante, é a lavagem dos pulsos. Por fim, só tem de enxaguar muito bem com água e secar as mãos com um toalhete — que deve usar para fechar a torneira, assim como para tocar no puxador da porta.

O principal problema de mãos ou luvas contaminadas é que a infeção ocorre quando se toca inadvertidamente no nariz, na boca ou nos olhos. As luvas contaminadas aumentam esse risco porque, com luvas, a desinfeção regular das mãos após o contato com superfícies potencialmente contaminadas geralmente não é feita”, diz a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor. Não se esqueça disto.

tags: alerta, Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor, Covid-19, luvas, pandemia

outros artigos de na cidade

mais histórias de Setúbal