na cidade

Cidade do Conhecimento em Setúbal poderá ser desenhada por Norman Foster

O projeto do The Pitroda Group LLC será no Vale da Rosa. O protocolo com a autarquia foi assinado esta quinta-feira.
Maria das Dores Meira e Sam Pitroda na assinatura do protocolo esta quinta-feira.

Setúbal vai ter uma Cidade do Conhecimento com polos de investigação e inovação no futuro. O complexo do The Pitroda Group LCC, propriedade do investidor e filantropo Sam Pitroda, na ordem dos 800 milhões de euros, vai instalar-se na zona do Vale da Rosa, perto do BlueBiz Global Parques e do campus do Instituto Politécnico de Setúbal.

Ao todo, serão 180 hectares, com áreas dedicadas à troca de conhecimento entre diferentes agentes económicos, sociais, culturais e de ensino/investigação, com destaque para as tecnologias de informação e comunicação (redes, portais, banda larga e fibra ótica). O projeto de arquitetura da Cidade do Conhecimento poderá vir a ser elaborado por Norman Foster, autor de projetos como o Estádio de Wembley, o Aeroporto Internacional de Hong Kong ou o novo estádio do Real Madrid.

A Cidade do Conhecimento vai ocupar a área inicialmente pensada para acolher o mega projeto da Nova Setúbal, que previa a construção de prédios de habitação e do novo Estádio do Vitória Futebol Clube. A assinatura do protocolo entre a Câmara Municipal de Setúbal e Sam Pitroda para a elaboração do Plano Estratégico da Cidade do Conhecimento decorreu esta quinta-feira, 20 de fevereiro, nos Paços do Concelho.

De acordo com Maria das Dores Meira, presidente da Câmara Municipal de Setúbal, os objetivos principais do projeto são “criar um local onde as pessoas e as empresas possam viver, trabalhar, cooperar e inovar em conjunto, bem como uma plataforma que irá concentrar geograficamente os stakeholders de um determinado setor, permitindo a troca de conhecimentos entre todos de modo eficaz”.

Na cerimónia, Sam Pitroda justificou a escolha de Setúbal, em primeiro lugar, pela sua “excelente localização e por fazer parte de uma grande área metropolitana, que vai ter um novo aeroporto”. O investidor reforçou ainda que a principal razão que o levou a apostar na cidade foi haver “vontade política por parte da presidente da Câmara Municipal de Setúbal”, uma vez que, na sua opinião, “sem apoio político nenhum empresário consegue concretizar este tipo de projetos”.

Sam Pitroda liderou empresas de tecnologia em vários continentes.

A Cidade do Conhecimento faz parte da estratégia definida no Plano Estratégico de Desenvolvimento de Setúbal 2026 e na Revisão do Plano Diretor Municipal de Setúbal. O protocolo visa a elaboração do PECC —Plano Estratégico da Cidade do Conhecimento, que terá uma primeira etapa de diagnóstico a que se seguirá depois a fase de proposta.

O PECC será elaborado por uma equipa técnica contratada pelo The Pitroda Group LLC, com o acordo da Câmara Municipal de Setúbal e os trabalhos serão acompanhados e orientados pelas duas entidades. Após a aprovação do PECC, a autarquia e o grupo vão assinar um novo protocolo para a construção de um Plano de Pormenor.

Nas últimas quatro décadas, o indiano Sam Pitroda tem desenvolvido a sua atividade no setor das telecomunicações em vários continentes, tendo já trabalhado nos Estados Unidos, Europa e Índia. Enquanto consultor do primeiro-ministro Rajiv Ghandi, contribuiu para a revolução das infraestruturas de telecomunicações e tecnologias de informação e comunicação do seu país. 

tags: Câmara Municipal de Setúbal, Cidade do Conhecimento, inovação, setúbal, The Pitroda Group LCC, Vale da Rosa

outros artigos de na cidade

mais histórias de Setúbal