na cidade

Câmara de Setúbal vai alargar o projeto das hortas urbanas para a Algodeia

O objetivo é aumentar o consumo de produtos biológicos pelas famílias do concelho.
Uma forma de trazer o campo para a cidade. Foto: Município de Setúbal.

Cada vez mais as famílias procuram consumir alimentos biológicos. Por isso, nos últimos meses, têm surgido várias marcas que entregam cabazes de frutas e legumes na região. Porém, a maioria destes produtos ainda é bastante cara e, por essa razão, não é acessível a todos. 

Neste cenário, a Câmara Municipal de Setúbal vai alargar o projeto de hortas urbanas comunitárias para a zona norte da Algodeia, o que permite reforçar a oferta de áreas de cultivo destinadas a cidadãos e aumentar a produção local de alimentos biológicos.

Com a instalação das futuras hortas urbanas no Parque Pedagógico da Algodeia, passam para 200 as parcelas urbanas de cultivo no concelho. As novas áreas de cultivo comunitário, dinamizadas no âmbito do projeto municipal Hortas Urbanas de Setúbal, vão ser criadas num terreno entre o campo de râguebi e a Ribeira da Figueira, onde antes existiam hortas informais.

O novo equipamento de utilização comunitária prevê a criação de 48 talhões, dois deles para pessoas com mobilidade reduzida, chegando a 48 agregados familiares residentes no concelho. A intenção de replicar a experiência das hortas das Amoreiras para a Algodeia tem, igualmente, como objetivo a aposta dos circuitos agroalimentares locais e curtos, ou seja, aqueles que têm, no máximo, um intermediário, assim como a respetiva diminuição da pegada ecológica.

Nos Viveiros Municipais das Amoreiras, na Avenida D. Pedro V, as hortas urbanas são compostas por 138 parcelas, estando duas delas instaladas em terreno sobrelevado para pessoas com mobilidade reduzida.

Aos hortelões, a autarquia disponibiliza, ainda, unidades de compostagem para restos vegetais, casas de banho, acesso a abastecimento de água com rega manual e mais de uma dezena de contentores de 800 litros para aproveitamento dos resíduos urbanos biodegradáveis, criados nas hortas.

Nas hortas urbanas das Amoreiras nascem repolhos, brócolos, chuchus, nabos, tomates, couves de várias espécies, abóboras e muitos outros produtos. Há também laranjas e um pomar, uma vinha, ervas aromáticas e flores, tudo integrado no âmbito da agricultura biológica.

A maior parte dos alimentos produzidos nas hortas é para autoconsumo dos próprios hortelões e famílias. Além disso, realizam-se regularmente campanhas de solidariedade social, com doação de produtos a instituições para serem distribuídos por famílias carenciadas do concelho.

O projeto das Hortas Urbanas de Setúbal tem como principais objetivos a promoção de atividades de horticultura em modo biológico e o incentivo ao uso e a partilha sustentável da água. Para saber mais informações sobre o projeto, pode consultar o site do município de Setúbal e a plataforma Setúbal em Bom Ambiente.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA