na cidade

Câmara de Setúbal anuncia medidas para fazer face à crise energética

Os veículos municipais deverão recorrer aos postos da GALP. Vai haver redução de serviços de obras municipais.
As medidas vão garantir capacidade de resposta da autarquia para cerca de um mês. Foto: CMS.

A Câmara Municipal de Setúbal avançou esta segunda-feira, 12 de agosto, com um conjunto de medidas para fazer face à crise energética, resultante da greve nos transportes de matérias perigosas. A decisão do executivo municipal passa por reduzir ao máximo o consumo de combustíveis.

Na reunião da Comissão Municipal de Proteção Civil, o vereador Carlos Rabaçal revelou as medidas adotadas internamente para garantir os serviços básicos à comunidade, de acordo com a Declaração de Situação de Crise Energética emitida pelo Conselho de Ministros a 9 de agosto e do Despacho Conjunto n.º 63, do dia 7 de agosto, de prestação de serviços mínimos para o período da greve.

As viaturas municipais, com cartão de abastecimento devem recorrer aos postos da GALP. Vai haver ainda redução de serviços de obras municipais, que não sejam de socorro e manutenção da higiene urbana e saúde pública e das deslocações para fora do concelho. Serão suspensas as viagens de autocarros municipais para visitas e excursões fora do concelho, com exceção das quatro já assumidas.

Carlos Rabaçal informou também que os veículos da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal (CBSS) e do Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros devem abastecer-se em postos da Rede Nacional de Emergência, utilizando os cartões para o efeito. Estas medidas estendem-se às juntas de freguesia, em concreto para os veículos que utilizam o posto de abastecimento do Parque Municipal de Poçoilos, com capacidade para cerca de 15 dias.

A Câmara Municipal de Setúbal pretende ainda que o seu veículo de transporte de combustíveis se mantenha com os depósitos cheios, em situação de reserva exclusiva para apoio a operações de Proteção Civil. Com a introdução destas medidas, a autarquia terá uma capacidade de resposta de cerca de um mês.

O coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal, José Luís Bucho, adiantou que está a decorrer uma “monitorização dos cinco postos de abastecimento da Rede Nacional de Emergência existentes no concelho”.

Já Carlos Rabaçal referiu em comunicado que “é importante verificar que todas as entidades tomaram medidas”. “Se for necessário, voltamos a reunir-nos e aumentaremos as medidas. Se houver alguma rutura numa entidade, a questão tem de ser resolvida coletivamente”, revela.

tags: Câmara Municipal de Setúbal, combustíveis, crise energética, medidas, postos de abastecimento, redução, setúbal