na cidade

Atenção, nómadas digitais: está a chegar um espaço de cowork a 15 minutos de Setúbal

O projeto social que tem vindo a fazer sucesso por terras espanholas já está em construção nas Pontes.
Pode conhecê-lo a 22 de outubro.

Durou pouco mais do que quatro minutos para estar decidido. Sabiam que teriam de escolher uma palavra curta que viesse nomear aquele que se tornou num dos grandes projetos de vida da espanhola María Rodriguez Gradin, educadora social e empresária, e Edo Sadikovic, um formador sérvio na área de empreendedorismo social. Do nome da vila onde vivem — Senderiz — removeram as últimas três letras e daí resultou o Sende: o primeiro espaço de coworking e coliving no meio rural que se prepara para chegar já no dia 22 de outubro a Portugal.

“O Sende é um projeto social que mostra que podemos voltar a viver numa aldeia, mas desta vez com inovação, tecnologia e educação. Funciona como um escritório “moderno”, só que na floresta, onde as as pessoas que trabalham online podem encontrar a sua casa e amigos de todo o mundo”, começa por explicar à NiT um dos criadores do conceito, Edo.

Corria o ano de 2010 e a dupla de empreendedores acompanhava os primeiros passos dos primeiros aparelhos — hubs — acolhidos por várias empresas que, no fundo, ambicionavam trocar informações dentro de uma rede local. Além disso, por essa altura, já os espaços de coworking começavam a emergir em vários cantos do mundo. O projeto Impact Hub, iniciado em 2005, é um dos exemplos disso. 

Ao mesmo tempo que se influenciavam com o que acontecia na grande maioria das vezes fora de Espanha e da Sérvia, María e Edo começaram a dinamizar uma série de eventos internacionais, precisamente em ambientes rurais sérvios, que juntavam pessoas de diversas nacionalidades. Lá, contam à NiT, criavam amizades para a vida toda “apenas por estarem isolados na natureza e reunidos sob a mesma luz ou a mesma fogueira”.

Foi exatamente aí que foi dado o clique. María, de 33 anos e Edo, com 34, decidiram colocar em prática um desejo em comum e, desta forma, criar uma casa mundial, só que na aldeia, onde pudessem reunir todos os amigos que tinham conhecido pelo mundo. Só que isto “não apenas para o turismo”, mas sim para serem criados “projetos juntos”. E assim foi. E assim também aconteceu.

Um espaço gerador de ideias.

“Com esta ideia em mente, fomos à procura de casinhas nas aldeias de Portugal e Espanha e acabámos na Galiza, na Lobeira, numa bonita aldeia com vizinhos muito queridos. Aliás, são apenas 20 habitantes. Quando abrimos a janela, vemos as montanhas de Portugal e o Parque Nacional do Gerês.”

Na transição de 2013 para 2014, os dois responsáveis por meter em andamento o agora conhecido Sende já só tinham um desejo por cumprir: “contar ao mundo que o espaço nasceu e que as portas já estavam abertas”, revelou à NiT Edo Sadikovic, de 34 anos.

Desde então, foram mais de 3,500 pessoas de 56 nacionalidades que visitaram o espaço na aldeia espanhola da região da Galiza. Isto, segundo esclarecem os fundadores do conceito, porque “nos últimos 10 anos, o trabalho mudou muito. E a verdade é que resultados iguais ou melhores podem ser criados enquanto uma pessoa está sentada sobre uma árvore com o seu laptop, ao invés de num escritório no centro de Lisboa ou Berlim”.

Resultado: o Sende já recebeu uma série de criativos e profissionais de uma série de empresas, nomeadamente da Netflix, Google, Disney, Boing, Facebook, Unicef, Amnistia e outras tantas. Por exemplo, em julho foi organizado um evento chamado “Bitsommar”. Graças a ele, ao espaço chegaram de todas as partes profissionais da indústria dos videojogos. “Diretores de arte, ilustradores, criadores de música para jogos, especialistas em 3D e gamers reuniram-se na nossa aldeia para falar sobre esta indústria, para criar novos jogos e desfrutar da paisagem galega”, disse ainda à NiT Edo.

No entanto, é o “Bosquexo”, o evento mais popular no Sende. Falamos-lhe de um festival de desenho natural que é tão popular que, de acordo com os dados partilhados pelos jovens responsáveis pelo projeto, esgota em poucos minutos. Até 2021 já foram organizados oito “Bosquexos”. Mas os eventos não terminam por aí. Vai gostar de saber que também são organizados ao longo do ano uma série de concertos e palestras sobre diversos temas, como a resolução de conflitos e empreendedorismo. 

Conclusão: são exatamente todos estes eventos (e conceito) que vão chegar a Portugal no próximo dia 22 de outubro. O novo espaço vai ter o Sado como pano de fundo e uma aldeia a 15 minutos de Setúbal, Pontes, como morada.

“Vamos estar dentro de um lote com muitos pássaros e árvores. Conseguimos chegar lá graças à colaboração com a Câmara Municipal de Setúbal, que decidiu contribuir para a inovação no meio rural. A ideia com o nosso novo espaço é trazer pessoas de todo o mundo, que chegarão a Setúbal para trabalhar, ao mesmo tempo que contribuem com a sua aprendizagem e competências.”

Neste momento, María Rodriguez Gradin e Edo Sadikovic revelaram à NiT que está a ser finalizada a primeira fase de construção dos espaços que vão ser suficientes para inaugurar o projeto em terras portuguesas e, depois, para ser realizado o primeiro evento. Nele, está, entre outras atividades, programado um workshop em que vão ser criados produtos originais no Sende e que qualquer pessoa poderá ter acesso, descarregando um tutorial, para que possa recriar em casa. “Por exemplo, uma casa na árvore, construída com poucos elementos”, adianta o casal.

“Como podem ver, muitas coisas acontecem no Sende só porque é um espaço que atrai mentes muito interessantes de todo o mundo, que querem trabalhar em projetos criativos”, remata, em conversa com a NiT, Edo Sadikovic.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA