na cidade

Ana Anjos: a setubalense que abriu um alojamento numa ilha de sonho na Tailândia

Apaixonou-se pelo país do sudeste asiático quando viajou para lá sozinha, em 2022. Agora, tem uma villa mesmo à frente da praia.
Fica em Koh Lanta.

Quando a portuguesa Ana Anjos decidiu fazer uma viagem à Tailândia sozinha, em março de 2022, jamais imaginou que o país do sudeste asiático se tornaria a sua casa. “Nunca lá tinha ido e fiquei completamente apaixonada. O que me apaixonou mais foram as pessoas. Não falava muito bem inglês, mas conseguia comunicar com toda a gente, através de sorrisos e gestos”, conta à NiT a portuguesa de 43 anos.

Três meses após a primeira estadia, decidiu regressar ao destino, desta vez sem bilhete de volta — e com “uma ideia maluca” na cabeça, como a própria diz. “Regressei à Tailândia para ver se fazia sentido abrir um negócio lá. Quando voltei, em novembro, vim com a ideia de abrir um resort”.

A verdade é que a setubalense nunca gostou muito de ficar quieta. Já trabalhou vários anos como diretora de lojas de restauração e a paixão por cozinhar levou-a a abrir, em 2020, o Just Pizza Signature by Raffa, em Setúbal, com o filho Rafael Moreira. Leia o artigo da New in Setúbal sobre o espaço.

Dois anos após a inauguração, aventurou-se por uma área diferente, longe de Portugal e sem pratos à mistura. Abriu o Lusithai — uma junção de português e tailandês — um resort em Koh Lanta, na província de Krabi, a 40 minutos das famosas ilhas Phi Phi, juntamente com Neuza, uma portuguesa que vive na Tailândia há cerca de nove anos.

A escolha pelo local também não foi um acaso. “Queria que fosse ali porque foi um dos sítios onde estive na viagem que fiz em março. Na altura, estava tudo fechado por causa da pandemia e não havia muitos turistas. Convivi com os locais de lá e fui muito bem recebida”, confessa à NiT.

A portuguesa Ana Anjos.

O resort que nasceu da paixão de duas portuguesas abriu ao público em maio de 2023, mas Ana mantinha o sonho de ter um projeto sozinha. Assim, quando sentiu que era o momento certo, vendeu a sua parte das quotas para investir num novo alojamento, também em Koh Lanta.

“Era uma antiga villa, mas os antigos proprietários decidiram vendê-la após a pandemia, porque tinham outro resort grande. Quando passei por este lugar pela primeira vez, apaixonei-me logo, principalmente porque era perto da praia”, revela a setubalense. Em julho, já era seu.

Os meses seguintes foram passados a renovar o espaço, “a pintar tudo de novo” e a adicionar uma nova decoração. Em setembro, após um investimento de cerca de 20 mil euros, abriu oficialmente a Luana Villas, um “nome com um significado muito especial”. “O L vem de livre, o U significa única e eu sou a Ana”.

Situado a alguns passos da praia Klong Klong uma das mais bonitas da ilha —, o alojamento é composto por oito bungalows, cada um com capacidade para dois adultos e uma criança, com casa de banho privativa e uma varanda com cadeiras suspensas e vista para o jardim. Quanto à decoração, inspirou-se “no estilo europeu”, com detalhes brancos e um ambiente clean, privilegiando a cor verde água. Ao contrário do que costuma acontecer em unidades hoteleiras, aqui o check in é feito “ao som da natureza e rodeados de palmeiras”, isto porque a receção foi instalada no exterior.

O alojamento não dispõe de piscina — apesar de poder utilizar gratuitamente a do resort parceiro, a 100 metros da Luana Villas. Aqui, o objetivo é mesmo aproveitar “toda a beleza da praia”. Além do estadia, a responsável também pode organizar pacotes de viagens completos.

“Há pessoas que acham que vir para a Tailândia é muito complicado, por causa da língua e por estar muito longe. Por isso, vamos ter alguns programas para ajudar os portugueses que querem vir conhecer o país”, revela.

Muitos dos viajantes portugueses vão até Koh Lanta para conhecer Ana, muitos deles até mudam a rota só para a visitar. “Quem fica muito admirado são os europeus, que acham que sou espanhola e ficam surpreendidos quando descobrem que sou portuguesa e que estou cá sozinha”. 

Por vezes, a portuguesa cria uma empatia tão grande com os clientes que vai mesmo jantar com eles, beber uns copos e sair à noite. “Logo no check-in ficam encantados com a minha história, cria-se uma ligação forte. Passamos umas duas horas a conversar e depois vamos jantar”, revela.

Nunca se vai esquecer, por exemplo, do casal russo Kirill e Helen, que tinha marcado apenas uma semana de férias e acabou por ficar lá três meses. “O visto deles estava a terminar e tinham que voltar para o país deles, que está em guerra, mas sentiram-se muito em casa aqui. Foi uma despedida muito emotiva, porque foram três meses de amizade e espírito de entreajuda”, admite a responsável. Apesar de os dois hóspedes terem ido embora, “deixaram um pedaço dos seus corações plantados no meu jardim”.

Quanto aos valores, os preços rondam os 30€ e 40€ por noite, em época baixa, e os 85€ e os 95€, na época alta. As reservas podem ser feitas através do Booking.

Como lá chegar

Para chegar ao alojamento, primeiro terá de voar até Krabi, na Tailândia. Se partir de Lisboa, encontra bilhetes de ida e volta desde 948€, com duas escalas. A ilha de Koh Lanta não tem nenhum aeroporto, por isso terá de apanhar um barco quando aterrar em Krabi. O percurso demora cerca de uma hora.

De seguida, carregue na galeria para conhecer melhor a Luana Villas.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA