na cidade

A Sobreviver vai ter um novo espaço para receber os animais

A associação sem fins lucrativos resgata cães e gatos abandonados há 18 anos em Setúbal.
A Shely macho está disponível para adoção.

A história da Associação Sobreviver começou há 18 anos quando três amigas, com muito amor à causa animal, começaram a resgatar animais abandonados no concelho.

“Inicialmente trabalhámos em parceria com o canil municipal de Setúbal, mas com o passar dos anos, as carências aumentaram e em 2003 evoluímos para o estatuto de associação sem fins lucrativos”, começa por contar à New in Setúbal, Sara Barrocas Alves, uma das fundadoras da Sobreviver.

Em maio deste ano, a Sobreviver celebrou o seu 18.º aniversário e anunciou à NiS que, em breve, vai instalar-se num novo espaço em Palmela e com mais condições para acolher os animais. Atualmente, o abrigo conta com 160 cães e gatos, sendo que a associação se dedica ao cuidado, tratamento dos animais, regaste para esterilização e promoção de adoções responsáveis.

Por enquanto, o terreno está a ser preparado, mas a previsão é de que as obras estejam prontas no final do verão. Durante a semana, o trabalho no abrigo é assegurado por uma equipa fixa composta por quatro pessoas. Aos fins de semana, os voluntários organizam-se por turnos, para que os animais estejam sempre acompanhados.

Por causa da pandemia de Covid-19, os pedidos de ajuda de algumas famílias que deixaram de ter capacidade para alimentar os animais de estimação aumentaram bastante. “Além dos animais que temos a nosso cargo no abrigo, ajudamos várias famílias carenciadas na alimentação e tratamentos dos seus gatos e cães”.

Se os pedidos de ajuda aumentaram, as campanhas de angariação de fundos e de alimentação praticamente deixaram de se realizar nos últimos dois anos, por culpa da pandemia. Ainda assim, as despesas diárias continuam e a Associação Sobreviver precisa da ajuda de todos. 

Para começar, caso não possa adotar, pode apadrinhar um animal. Basta decidir se quer um gato ou cão; macho ou fêmea; jovem, sénior ou adulto e o valor que pretende doar ao seu afilhado. O padrinho ou madrinha tem o direito de saber o estado de saúde do animal e recebe periodicamente uma fotografia do seu novo amigo.

O novo abrigo em Palmela terá mais espaço para acolher os animais.

Outra forma de ajudar é tornando-se sócio da Sobreviver. A cota mínima mensal é de 2€. Os donativos em géneros também são muito importantes, sobretudo ração de cão ou gato, preferencialmente para séniores, patês, produtos de limpeza, areia para gatos e resguardos. 

Pode entregar os donativos na Clínica Vet R’in Area na Avenida Bento Jesus Caraça, Green Mill CBD na Praça Almirante Reis, em Setúbal. Além disso, é possível fazer uma doação monetária, através do MB Way 917 574 237, ou por transferência bancária para o NIB PT 50003507740013925133043. 

À New in Setúbal, Sara Barrocas Alves faz um “balanço muito positivo” dos últimos 18 anos de atividade da Sobreviver.

“Começámos por fazer esterilizações na rua. Como fomos a primeira e a maior associação de animais a nascer no distrito de Setúbal, apesar de ter sido duro, acredito que fizemos a diferença para muitos animais”, diz. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA