na cidade

A setubalense que se apaixonou pela Tailândia e vai abrir um resort em Koh Lanta

Ana Anjos viajou sozinha para o país do sudeste asiático em março de 2022. Um ano depois, irá inaugurar o Lusothai.
Ana Anjos vai abrir um resort.

Ana Anjos, de 42 anos, trabalhou vários anos como diretora de lojas de restauração, mas sempre adorou cozinhar e receber amigos. Um paixão que a levou a abrir, em 2020, o Just Pizza Signature by Raffa, juntamente com o filho Rafael Moreira, o atual chef do restaurante em Setúbal. Dois anos após a inauguração, prepara-se agora para uma aventura diferente, longe do País e sem pratos à mistura. “Uma ideia maluca”, como a própria o diz. 

Em março do ano passado, Ana decidiu fazer uma viagem à Tailândia sozinha. “Nunca lá tinha ido e fiquei completamente apaixonada. O que me apaixonou mais foram as pessoas. Não falava muito bem inglês, mas conseguia comunicar com toda a gente, através de sorrisos e gestos”, conta à NiT. Gostou tanto de conhecer o país do sudeste asiático que, três meses depois, estava de volta — mas desta vez com o filho. 

“Regressei à Tailândia para ver se fazia sentido abrir um negócio lá. Quando voltei, em novembro do ano passado, vim com a ideia de abrir um resort”, diz. Durante a estadia, conheceu Neuza, uma portuguesa que vive na Tailândia há cerca de oito anos e também tinha o sonho de abrir um alojamento no país. “Acabei por convidá-la para fazer parte do projeto, já que ela conhece bem o país. Foi uma coisa muito mágica”.

Juntas, avançaram com o projeto, ao qual deram o nome Lusithai — uma junção de português e tailandês. O resort deve abrir portas a 15 de março, em Koh Lanta, na província de Krabi, que fica a 40 minutos das famosas ilhas Phi Phi. “Queria que fosse ali porque foi um dos sítios onde estive na viagem que fiz em março. Na altura, estava tudo fechado por causa da pandemia e não havia muitos turistas. Convivi com os locais de lá e fui muito bem recebida”, confessa.

O Lusithai vai abrir no mesmo local onde funcionava o Baan Reena Resort Lanta, que esteve fechado durante algum tempo devido à Covid-19. Fica no meio de “jungle”, como lhe chamam, e a 400 metros de uma praia de águas azuis turquesas maravilhosas. “É um paraíso infinito”, diz.

O espaço está neste momento em remodelações e, quando abrir, terá 10 bungalows. Oito duplos e os restantes dois funcionam como suite com piscinas individuais, mais viradas para as luas-de-mel. “Vão ter um ambiente muito clean e ligado à natureza porque queremos que seja tudo eco. Como a Tailândia já tem muitas cores, queremos tudo muito branco, cor que simboliza a paz” , explica.

Os bungalows.

Apesar de dois dos bungalows disporem de uma piscina privativa, os restantes hóspedes podem mergulhar na piscina exterior social que vai começar a ser construída já em fevereiro. A responsável também pretende inserir uma área de ioga e de massagens e, mais para a frente, esperam abrir um espaço de restauração na praia. “Queremos perceber como corre o primeiro ano, depois planeamos construir o restaurante que servirá de apoio ao hotel. Será um projeto do Rafael (o filho)”, revela.

Quanto ao pequeno-almoço, o conceito também será diferente do que se costuma verificar noutros resorts na Tailândia: vão ter pequenos-almoços europeus. Já no que diz respeito à decoração, “vão usar e abusar do bambu”. 

Apesar de ainda não ser possível fazer reservas, Ana adiantou os preços que vão praticar. Os bungalows com quarto duplo rondam os 50 e 60€, enquanto que as suites com piscina privada variam entre 60€ a 100€, dependendo da época do ano. 

Além do resort, a responsável também vai ter pacotes de viagens completos. “Há pessoas que acham que vir para a Tailândia é muito complicado, por causa da língua e porque estar muito longe. Por isso, vamos ter alguns programas para ajudar os portugueses que querem vir conhecer o país”, revela.

Fica no meio da selva.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA