na cidade

A incrível história dos setubalenses que atravessaram o deserto por solidariedade

A New in Setúbal falou com Gonçalo Rosa e Bernardo Barreto, que participaram no desafio do UniRaid.
Uma aventura inesquecível.

Atenção, esta é uma história do deserto, que mistura rally e solidariedade. Pode parecer uma combinação improvável mas não é. Gonçalo Rosa e Bernardo Barreto são os dois jovens setubalenses, que aceitaram o desafio do UniRaid, uma mega aventura solidária para estudantes de vários países.

Estiveram nove dias no deserto de Marrocos a viajar num Renault Twingo velhinho, com 24 anos. E com um único objetivo: ajudar as comunidades locais mais necessitadas do interior. Passaram por Algeciras, Tanger e Mèkens. Mas foi em Rica, que viveram dos momentos mais marcantes da road trip.

Foram ter a um acampamento no deserto, onde entregaram brinquedos, roupa e material escolar a miúdos entre os cinco aos nove anos. A meta para cada uma das equipas era distribuir, pelo menos, 40 quilos de bens. Mas os primos, que formaram a equipa “Os Areias” conseguiram encaixar na bagageira, numa espécie de “jogo de tetris” cerca de 110 kg.

À New in Setúbal, Gonçalo Rosa, 20 anos confessou que o desafio foi mais “duro” do que estava à espera. “Foram muitas horas a conduzir, pouco tempo de sono, mas com um espírito de entreajuda incrível. Nunca imaginei que carros destes pudessem fazer percursos tão exigentes”.

Já Bernardo Barreto, 21 anos considerou a experiência “brutal” nos dois sentidos. “Brutal pela beleza das paisagens e trajetos tipo Dakar, mas sobretudo por perceber que para estas pessoas qualquer objeto que nós (ocidentais) consideramos banal é um fascínio para eles”.

É claro que numa viagem deste género há sempre muitas histórias para contar, algumas delas hilariantes e inesperadas. Logo no primeiro dia ainda os primos não tinham saído do hotel quando viram um automóvel marroquino capotar mesmo à sua frente.

“Saímos do nosso carro para ver o que se passava, mas deixámos o motor a trabalhar. Quando voltámos tinha sobre-aquecido e estava a deitar fumo”, conta Bernardo Barreto.

Já em pleno deserto do Saara a meio da etapa maratona (rally de 24 horas seguidas), umas pedras furaram o tubo de combustível quando a quantidade do jerrycan estava à conta. “Tentámos cobrir o furo com fita adesiva. Mas tivemos a sorte de ser ajudados por uns marroquinos de uma mina, que tinham logo à mão uma mangueira de combustível”, explica Gonçalo Rosa.

Bernardo Barreto é estudante do 4ª ano do curso de Engenharia Mecânica, no Instituto Superior Técnico (IST) e gostava de trabalhar no ramo automóvel. “É uma paixão antiga e um dos principais motivos que me levou a participar no UniRaid”.

Gonçalo Rosa é aluno do 3ª ano de Engenharia Civil, na Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa (FCT/UNL). “Depois de acabar o curso, quero optar por uma vertente mais prática ligada à construção/estruturas”.

Os dois primos partiram de Setúbal no passado dia 22 de fevereiro, sexta-feira e voltaram a 3 de março, domingo. Ponderam voltar a participar numa próxima edição do UniRaid.

Carregue na imagem para ficar a conhecer os momentos mais marcantes da road trip. 

 

tags: desafio, deserto de Marrocos, jovens setubalenses, solidariedade, UniRaid, viagem