na cidade

À espera: o novo turismo rural em Melides é exclusivo para adultos

É o sítio certo para descansar em silêncio e mesmo ao lado da praia. Todos os quartos têm vista para a piscina de água salgada.
Um refúgio para uma escapadinha a dois.

“Sabemos que quando chegar, mesmo que não deixe o mundo do lado de fora do portão, a cada passo que der até à receção o som dos pássaros irá sobrepor-se ao peso que traz na bagagem”. É com estas palavras que o À Espera, o novo turismo rural de Melides, no concelho de Grândola, se apresenta aos hóspedes. 

De portas abertas desde o dia 1 de julho, podíamos dar início a esta história ao dizer que tudo começou há um quarto de século, quando Paulo Andrade, de 66 anos, passava os seus fins de semana em Melides. “Na verdade, a história começa quando o Paulo e a Eva sentem que Melides estava à sua espera”, escrevem no site.

Os responsáveis por dar outra vida a este espaço, onde “não há horas, só tempo”, são Paulo Andrade e a mulher Eva Mendes, de 51 anos. Trata-se de um projeto que surgiu de forma espontânea e natural, tal como a área envolvente com mata e pinheiros. 

Embora tenham profissões que nada têm a ver com hotelaria — ele tem uma empresa de representação media internacional e ela trabalhou vários anos na área comercial de revistas — decidiram lançar-se numa aventura ligeiramente fora da zona de conforto do casal. 

“O projeto surge porque tínhamos este terreno em Melides há cerca de 15 anos e supostamente ia ser uma casa de habitação para vender. Entretanto decidimos avançar com um projeto de turismo rural”, conta à NiS Eva Mendes, natural de Setúbal.

A par deste espaço, o casal tinha também uma casa de férias num monte alentejano, que começou por alugar a amigos e famílias. Mais tarde, transformaram-no num alojamento local ao qual deram o nome À Espera no Monte.

Não passou muito tempo até Eva e Paulo recuperarem casas na aldeia e nascer assim o segundo empreendimento do casal: o À Espera na Aldeia. “Percebemos que havia muita procura no verão e as pessoas iam lá passar férias. Arranjámos um apartamento e começámos a alugar e, como o Paulo vai para Melides há cerca de 25 anos, as oportunidades de terrenos foram-lhe surgindo na altura”, diz a responsável.

Adeptos fervorosos deste conceito de encontro entre amigos, “ a intenção de receber, alojar e acolher” esteve sempre presente em cada um dos projetos. Ainda assim, sentiram que faltava criar um turismo rural que permitisse o reencontro com o silêncio e o mar.

Depois de uma longa espera — cinco anos a ser projetado e dois anos parados devido à pandemia —, o turismo rural ficou finalmente pronto para começar a receber hóspedes. Abriu com um nome diferente, é certo, mas que fica no ouvido: À Espera.

“Isto começou porque andávamos à procura de um nome para darmos ao nosso monte e nada soava bem. Até que um dia alguém me pergunta ‘onde está o Paulo?’ e eu respondo que está à espera no monte. E assim ficou”, explica. 

No que diz respeito à decoração, um dos critérios do casal era ter tudo o mais natural e simples possível. Procuraram muitos elementos decorativos em feiras e percorreram o Alentejo inteiro em busca de peças de artesanato.

Com o objetivo de aproximar os hóspedes à tradição e cultura tradicional alentejana, todos os quartos do turismo rural são temáticos. Cada um tem segue o nome de objetos alentejanos: as talhas, que lembram os melhores azeites do País; os cântaros, a olaria tradicional da região; os chocalhos, instrumento colocado rebanho; os cajados, a bengala do pastor alentejano; os cochos de cortiça, que serviram para beber água em tempos; os tarros, recipientes utilizados no transporte de comida; e as cestas e os chapéus, acessórios que serviam para muito mais do que apenas proteger do sol.

O À Espera fica a 10 minutos do centro de Melides e da praia. Outra característica importante do turismo rural é que é exclusivo para adultos. Apesar de garantirem à NiT que adoram miúdos, os responsáveis queriam um turismo rural com um conceito realmente diferente. “Não há muitas opções para quem precisa de se desligar completamente, um sítio onde os hóspedes chegam e sabem que não vão ser incomodados com barulho”.

O espaço tem nove quartos duplos, onde “as cores, texturas e sons nos contam histórias do Alentejo”. A propriedade conta ainda com dois edifícios. No primeiro, ficam os oito quartos, todos com terraço privativo sobre a piscina exterior. No segundo, está o quarto mais pequeno, a cozinha e a sala onde é servido o pequeno-almoço.

Nos espaços exteriores, os hóspedes podem relaxar na piscina de água com 1m40 de profundidade ou fazer um piquenique ao pôr do sol. O turismo rural também disponibiliza serviço de massagens no quarto ou no terraço. E há sempre a possibilidade de marcar passeios a cavalos, passeios pedestres guiados e bicicletas para BTT. 

Uma noite no À Espera custa, no mínimo, 195€ para duas pessoas, com pequeno-almoço incluído. As reservas podem ser feitas online.

De seguida, carregue na galeria para conhecer melhor o novo turismo rural de Melides.

ver galeria

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA