na cidade

A Casa da Baía foi distinguida pelo guia Travel & Hospitality

O centro de promoção turística foi reconhecido na categoria "Tour", com base na votação dos utilizadores da plataforma.
É um dos spots mais cool da cidade.

É oficial: a Casa da Baía de Setúbal, na Avenida Luísa Todi, foi novamente distinguida pelo guia internacional Travel & Hospitality com base nas avaliações e apreciações feitas pelos viajantes.

O guia distingue experiências consideradas autênticas, únicas, originais e enriquecedoras para a estadia dos visitantes, assim como as vivências relacionadas com a descoberta do local de destino turístico.

O centro de promoção turística municipal venceu o concurso na categoria “Tour”, que integra empresas, serviços ou produtos comercializados e com capacidade de atrair a atenção do público.

O Travel & Hospitality Awards é uma organização composta por amantes de viagens, bloguers e profissionais do setor do turismo, sendo esta a segunda vez que a Casa da Baía é reconhecida com estes prémios, depois de, em 2020, ter recebido a distinção de “Marca de Excelência”. Os vencedores são selecionados através de uma avaliação da Travel & Hospitality e das apreciações feitas pelos utilizadores.

A Casa da Baía foi inaugurada em 2011, depois de várias obras de reabilitação do edifício, classificado como Património Municipal. Atualmente, o espaço é a sala de visitas da região de Setúbal, tendo como principal objetivo a divulgação e promoção turística da região e a venda de produtos regionais.

O equipamento é multifuncional, acolhendo, entre outras valências, um posto de informação turística, as confrarias do Queijo de Azeitão e do Moscatel de Setúbal, a Associação da Baía de Setúbal, área vínica, loja de produtos regionais gourmet, sala de reuniões e auditório e o CIRES.

Porém, a história do espaço começou a ser escrita no século XVIII. O atual centro de promoção turística foi um antigo recolhimento para acolher mulheres mais pobres construído em 1753 por D. António Domingues de Sousa. Acabou por resistir apenas dois anos, já que foi destruído pelo terramoto de 1755. 

Em maio de 1919 é instalado o Orfanato Municipal de Setúbal, com capacidade máxima para 70 miúdos e adolescentes do sexo masculino, órfãos de pai e mãe. Os jovens ficavam em regime de internato, até atingir a maioridade, onde aprendiam os ofícios de carpinteiro, encadernador, tipógrafo ou sapateiro. Em 1964, o orfanato é extinto e depois de 1975 instala-se no mesmo local a creche dos Pirilampos.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA