fit

Treinar com estilo: chegaram as bandas para levantar pesos com padrões realmente giros

A Bardet foi criada em 2020 e rapidamente se tornou a queridinha de muitas influencers. Tudo é pensado para o corpo feminino.
Para treinar em casa ou no ginásio.

Durante os treinos podem surgir muitos desafios. Um deles é a execução dos exercícios até ao fim. Às vezes, o corpo já não aguenta mais uma repetição com barra. Noutros momento, são os pulsos que dão sinal de exaustão. Foi precisamente para evitar estes momentos, que surgiram as novas fitas da Bardet, as lifting straps, pensadas exclusivamente para a estrutura e dimensões do corpo feminino.

A marca nasceu em plena pandemia, num momento em que treinar em casa era a única opção. Com o avançar dos meses e o levantamento das restrições, os treinos mudaram-se para o ginásio e a Bardet também.

Depois das bandas com vários padrões e resistências, caneleiras e âncoras criaram agora as fitas para quando os pulsos já não aguentam com mais peso, mas o corpo sim. Chamam-se lifting straps e são ideais para quem pratica halterofilismo. Com este acessório é possível “ir além do peso habitual e suportar maiores cargas. E todos sabemos que a sobrecarga progressiva significa mais ganhos”, afirmam Maria Alves e Gonçalo Moreira, os fundadores da marca.

São feitas numa mistura de algodão e foram pensadas especificamente desenhadas para mulheres. Têm uma espuma de apoio com uma dimensão menor que a habitual para se adaptarem da melhor forma aos pulsos femininos e tiras de silicone para não escorregarem das mãos“. Custam 15,00€ e estão disponíveis em preto e rosa.

Segundo os fundadores da marca, “estas straps permitem que as zonas mais delicadas do corpo feminino, como as articulações dos pulsos, suportem melhor o peso que se está a levantar, melhorando assim a performance muscular, e toda a sequência de exercícios do treino”. 

Maria, de 30 anos, foi uma adolescente com excesso de peso e isso fez com que começasse a praticar cardio “mas sem grande compromisso”, como contou à NiT. Em 2017 começou a empenhar-se mais no bem-estar físico e passou a fazer musculação, notando mudanças no corpo e, consequentemente, mais motivação e melhorias significativas na autoestima.

Tudo isto levou a um maior interesse pela área do fitness, pelas marcas e pelos equipamentos de qualidade. Rapidamente percebeu que a maioria estava direcionada para o público masculino e a oferta que existia para mulheres nem sempre tinha boa qualidade. A ideia de criar uma marca de bandas elásticas surgiu como forma de suprir essa lacuna.

A Bardet — nome escolhido por estar de alguma forma ligado a resistance band e por ser o sobrenome do ciclista francês Romain Bardet, de quem Maria é fã — começou então a ser desenhada no final de 2019. Desde o design, ao branding, à escolha de cores, tudo é obra desta dupla. Só a produção não é portuguesa, embora seja europeia.

As bandas de resistência rapidamente se tornaram um bestseller. “O que as distingue é o design e o tecido únicos, anti-slip. Não escorrega nem enrola na maioria dos tecidos das leggings e mesmo quando se treina em calções, não magoa — ao contrário do latex”.

Em 2020, o casal contava à NiT que tencionavam investir em “padrões novos, bandas diferentes e até outros equipamentos para treino”. E foi exatamente o que fizeram.

Carregue na galeria para conhecer as novidades da nova coleção da Bardet.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA