fit

Pastilhas elásticas podem ajudar a perder peso — e a prevenir as cáries

As conclusões são de um estudo recente, que descobriu que o consumo pode ter vários benefícios para a saúde.
As pastilhas estão por todo o lado.

Desde miúdos que ouvimos dizer que as pastilhas dão cabo dos dentes. Pois bem, chegados a 2024, o cenário parece ser outro. Pelo menos no que toca à variedade sem açúcar. Um estudo conduzido por investigadores da Universidade de Southern, na Califórnia (EUA) e publicado em janeiro na revista científica Journal of the American Nutrition Association, revelou algo surpreendente. Afinal, mastigar pastilhas elásticas sem açúcar pode trazer mesmo benefícios significativos para a saúde.

Uma das principais conclusões foi relativamente à perda de peso. Dos mais de 15 mil participantes analisados, os que mastigavam pastilhas elásticas sem açúcar demonstraram uma tendência para consumir menos calorias ao longo do dia. Os cientistas atribuíram a explicação à sensação de saciedade que é proporcionada pela ação de mastigar estes doces. Além disso, o consumo ajuda a reduzir a ingestão de açúcar adicionado e o apetite entre as refeições. 

Outra das descobertas feitas por esta investigação norte-americana é que mastigar uma pastilha elástica sem açúcar ajuda a uma boa saúde oral. Os investigadores indicam que contribui para diminuir a placa bacteriana e as cáries dentárias, prevenindo problemas nos dentes quando não é possível lavá-los logo a seguir às refeições.

E não é tudo: comer pastilhas elásticas sem açúcar também ajudam a reduzir o stress. Os participantes do estudo mostraram níveis mais baixos de stress, o que indica efeitos positivos no bem-estar mental e emocional das pessoas.

“O consumo autorrelatado não afetou o estado de saúde bucal dos adultos norte-americanos, mas foi associado à melhoria da qualidade da dieta e à diminuição da ingestão de lanches e açúcares adicionados”, referem os especialistas. Ainda assim, os autores deste estudo admitem diversas “limitações” neste trabalho e concluem que são necessárias mais investigações para perceber os efeitos do consumo das pastilhas elásticas.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA