fit

Como voltar a adormecer depois de acordar a meio da noite

Os despertares noturnos são naturais, mas podem ser frustrantes. O melhor é manter a calma e seguir estas dicas infalíveis.
A NiT falou com uma especialista.

Já todos sabemos, mas nunca é demais repetir. Dormir bem é fundamental para manter a saúde física e mental. É durante o sono que o corpo se recupera, regenera e fortalece, permitindo que as funções fisiológicas sejam restauradas. Contudo, nem sempre conseguimos acordar com a sensação de que tivemos uma noite verdadeiramente descansada. Muitas vezes, o problema não está relacionado com as temidas insónias, mas com os despertares noturnos.

Acordar a meio da noite é um fenómeno relativamente comum, — muitos adultos ficam no limbo entre o sono e a vigília durante alguns segundos ou até minutos entre as várias etapas do sono —, pode tornar-se problemático se não conseguir adormecer no espaço de um quarto de hora. Não conseguir regressar ao sono rapidamente pode ser uma experiência frustrante para qualquer um.

A situação tende a piorar à medida que o tempo avança e os pensamentos ansiosos e preocupações aglomeram-se, tornando impossível fechar os olhos novamente. Afinal, que se deve fazer realmente nestes casos? A NiT falou com a especialista em sono da Sociedade Portuguesa de Pneumologia Inês Gonçalves, que deixou alguns conselhos para voltar a adormecer após acordar a meio da noite.

Relaxar a mente e o corpo
“Muitas vezes as pessoas acordam durante a noite porque estão preocupadas com as tarefas do dia seguinte ou com questões pessoais que têm relevância naquele momento. É importante evitar pensar nisso e tentar distrair a mente, pois ao fazê-lo estará a alimentar essa inquietação que impede o descanso”, começa por sublinhar a profissional do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures.

Adequar o ambiente do quarto
Também pode dar-se o caso de ter despertado pelo facto de as condições climatéricas não serem as melhores. “É normal acordar-se com frio, muito calor, ou até com o corpo transpirado. A temperatura do quarto tem de estar adequada às nossas necessidades; por isso, é essencial regulá-la para conseguirmos voltar a descansar. Se não o fizermos, o motivo que nos levou a acordar é o mesmo que não nos vai permitir voltar a dormir.”

Evite os aparelhos tecnológicos
Há muito este hábito de pegar no telemóvel para “tentar ganhar sonho”, mas é algo que a especialista afirma que não se deve fazer de todo. “A luz forte e os sons vão acabar por estimulá-lo e mantê-lo acordado mais tempo. Quando der por si já passaram horas e nem reparou.”

Ir para outra divisão
Embora muitos pensem que a mudança de local poderá ser um motivo para despertar ainda mais, ir para um sítio que não o quarto onde estava é muito importante. “Deve fazê-lo se já estiver acordado há vinte minutos. Por vezes, o condicionamento espacial causa uma maior ansiedade: estar no local habitual leva as pessoas a tentarem desesperadamente dormir, mas quanto mais pensam sobre isso mais difícil se torna concretizá-lo.”

Luz fraca
“Quando vai para a outra parte da casa, não comece a acender todas as luzes, tente criar um ambiente acolhedor, com uma intensidade baixa de luminosidade. Depois deve praticar algumas técnicas de relaxamento, como exercícios de respiração que o façam desligar daquilo em que pensava e o permitam concentrar-se apenas no descanso.”

Ler um livro ou ouvir música relaxante
Apesar de não dever fazer grandes atividades, para que o corpo não desperte ainda mais, ler um livro e ouvir música podem ser duas práticas muito vantajosas. “Há várias playlists de canções calmas disponíveis na internet, descubra uma de que goste ou leia um livro tranquilo. No fim, quando começar a sentir-se sonolento, deve regressar ao quarto.”

Apesar destas técnicas ajudarem a adormecer, há formas de prevenir os desertares noturnos — basta adotar alguns hábitos de higiene do sono. 

“Ter uma rotina de sono equilibrada vai fazer com que haja regularidade nas horas da dormida, o essencial para não existirem estas interrupções a meio do descanso. Não é saudável num dia deitarmo-nos às dez, no outro à meia-noite e no fim de semana às três da manhã. Além disso, para quem já tem propensão a despertar, fazer sestas a meio do dia também é desaconselhado, porque vai agravar o problema que já é prejudicial.”

Também não deve ter relógios na divisão do quarto, porque o facto de saber que cada vez está mais perto da hora de levantar, ao ver o tempo a passar, vai sentir a pressão a aumentar, por não estar a conseguir adormecer. Outro dos motivos que nos pode levar a despertar é ter a boca seca, com sensação de sede. Neste caso molhe apenas os lábios e não beba demasiada água. Se o fizer, pouco depois terá vontade de ir à casa de banho e irá interromper novamente o sono.

Se após colocar estas dicas em prática continuar a acordar a meio da noite com frequência (entre três a quatro vezes por semana), Inês Gonçalves recomenda consultar um médico para tentar perceber a causa, para não perpetuar a situação.

“Dormir é mesmo essencial para o bom funcionamento do corpo humano e se algo não está bem com a nossa higiene do sono, temos de tentar resolvê-lo”, conclui.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA