fit

Afinal, qual é o tipo de ameixa mais saudável?

Com as ameixas às vezes a dúvida é na cor. Eis as pequenas diferenças e o que temos a ganhar com ela.
O que a ameixa nos dá.

Da China até à Europa, a ameixa tem uma longa história e um lado saboroso e saudável que fez com que fosse das primeiras frutas a saltar fronteiras. Do lado de lá do mundo, é referida em poesia de há vários séculos e quando chegou à Europa rapidamente ganhou fãs.

Os portugueses não são exceção e às vezes a única dúvida que temos é uma questão de cor. Será que hoje prefiro as mais claras ou as mais avermelhadas? A nutricionista Ana Bravo dá uma ajuda à NiT para perceber as diferenças.

“Da família das amêndoas, das cerejas e dos pêssegos, as ameixas são um fruto arredondado de polpa macia e suculenta  que varia no seu tamanho, cor e sabor”, explica-nos. E há boas notícias para estes dias de calor que o verão nos trouxe. “A melhor forma de a consumir é ao natural, e na sua época. Agora”, salienta com bem-humorada urgência.

Continuam a ser estudados os benefícios da ameixa mas um que a destaca e que faz com que já no tempo das nossas avós fosse aconselhada, não por experiência científica mas por lições da vida, é que é uma ótima aliada contra a obstipação. De facto, tanto a ameixa mais branca como a mais encarnada contam com fibra.

Têm, também, propriedades antioxidantes. Embora nem todas as espécies ou variedades de ameixa possam ser secas, diferentes estudos sugerem outros benefícios. Um trabalho de 2016 do norte-americano Centro Nacional de Informações sobre Biotecnologia sugere que podem ajudar ao nível dos ossos, nomeadamente em mulheres já na fase da menopausa, enquanto um outro trabalho da Universidade Tufts, nos EUA, destaca que secas até podem ter mais antioxidantes do que os mirtilos, por exemplo. Mas há mais.

As diferentes cores de ameixa têm algo em comum: são pouco calóricas, e na sua composição são ricas em água e encontramos nutrientes como magnésio, potássio, vitaminas de diferentes complexos ou cálcio.

Ana Bravo dá-nos até algumas dicas de como a usar, não só para a aproveitarmos ao máximo mas também para recorrer a ela como uma aliada na hora de saciar (ajudando assim a manter a linha). Mas será que há diferenças entre a versão mais clara e a mais escura?

A nutricionista faz-nos a radiografia ao detalhe. A porção recomendada para ambas as ameixas é de 160 gramas. Abaixo pode ver os valores nutricionais para 100 gramas.

A radiografia da ameixa.

Quando a comer?

Uma dúvida normal com muitas frutas é a melhor refeição para as integrar (e como). Ana Bravo já tinha salientado que pode desfrutar dela ao natural mas dá também uma outra resposta, que a própria refere que “será válida para toda a fruta”: “nas merendas é um excelente aliado, por exemplo com iogurte e canela ou numa mousse com quark ou ricotta”, sugere.

´Quanto à tal dica sobre como podemos usá-la para melhor nos saciar? “No que respeita a refeições principais, pode ser uma mais-valia para quem tem mais dificuldade em gerir as quantidades no prato, comer no início, de forma a refrear esse apetite”, explica.

No final da refeição, “também tem vantagens para quem sente necessidade de terminar o almoço ou o jantar com o gostinho doce”. Em vez de uma sobremesa, é suculenta quanto baste para nos dar o tal ar de sobremesa.

De resto, nesta altura do ano é fácil tê-las em maior quantidade e qualidade. Não há que haver receio do desperdício. “Se abundam, o desperdício não é opção”, destaca Ana Bravo. “Há muitas formas de as reservar por mais tempo: podem utilizar-se para confecionar doces, bolos, tartes, gelados, mousses, sumos, gelatinas e saladas”. É uma questão de gosto. E criatividade — seja qual for a cor da ameixa. 

À procura de mais opções de fruta amigas da dieta? Estas são as 11 frutas de verão menos calóricas, segundo uma seleção feita pela Deco. Têm nutrientes que vale a pena não descurar — e são ideais para quem quer emagrecer. Carregue na galeria para as descobrir.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA