cultura

Vários ritmos vão ecoar na Casa da Cultura em mais um concerto do “Ciclo Disrupção”

Vão chegar à cidade quatro artistas, com diferentes instrumentos, para darem um imperdível espetáculo “double bill”.
Marque na agenda.

Uma das principais características da música é a sua versatilidade e capacidade de agradar a todos os tipos de público. Por isso mesmo, a Disrupção — Associação Cultural vai promover mais um encontro casual entre sopros, respirações e teclas, com vários artistas convidados. O espetáculo chamado “Ciclo Disrupção” está marcado para o próximo sábado, dia 9 de dezembro, na Casa da Cultura, às 21h30.

Desta vez, vão existir dois momentos musicais diferentes. Na Sala José Afonso, vão subir a palco, na primeira metade do “double bill”, o trio formado por Nuno Torres (saxofone), João Silva (trompete) e André Hencleeday (piano), que traz uma sessão de improvisação e exploração sónica das interações entre os seus instrumentos. Aires termina a noite, “com um set de eletrónicas mesmerizantes”.

Nuno Torres é músico e artista sonoro. Desenvolve a sua atividade de pesquisa nas áreas da música improvisada e experimental, além de promover vários projetos na área. Tem também participado em várias colaborações na rádio.

Por outro lado, João Silva é trompetista, professor e investigador, fundador e diretor da Disrupção. A sua carreira centra-se na esfera da interpretação do repertório contemporâneo do instrumento e tem interesse pela música para trompete e eletrónica, apresentando-se frequentemente em alguns dos mais importantes festivais e salas de concerto por toda a Europa. Tem mestrado em Música, pela Universidade de Música de Colónia, na Alemanha, e doutoramento em Música e Musicologia, especialidade em Interpretação, na Universidade de Évora.

André Hencleeday é um performer e compositor. Concluiu o curso de piano no Conservatório Nacional de Lisboa e mais tarde a licenciatura em Composição na Escola Superior de Música de Lisboa. Atua e grava regularmente com ensembles.

Aires é um músico bastante conhecido no circuito de Lisboa. É co-fundado do Colectivo Casa Amarela, uma entidade editorial. Faz parte dos projectos Fashion Eternal, Peak Bleak, Scolari e Hot Dance Dancerzzz.

O bilhete para assistir aos espetáculos, que contam com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, é de 4€. Pode comprar os ingressos na bilheteira online. Para mais informações, contacte a organização através do número 265 236 168 ou do email rececao.casacultura@nullmun-setubal.pt.

Carregue na galeria para conhecer toda a programação de espetáculos no mês de dezembro no Fórum Luísa Todi. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA