cultura

Uma história de amor num cenário de apocalipse: é assim o novo filme da Netflix

“Love and Monsters” estreou há poucos dias e já está no topo das tendências em Portugal.
O protagonista.

Os filmes sobre cenários pós-apocalíticos tornaram-se uma certa tendência nos últimos anos — e a Netflix, claro, também apostou em histórias deste género. Aquela que mais sucesso deve ter tido será “Bird Box”, o filme protagonizado por Sandra Bullock que estreou em 2018.

Esta semana, a 14 de abril, estreou na Netflix uma nova história deste género, “Love and Monsters”. Está nomeado para um Óscar, na categoria de Melhores Efeitos Visuais. A cerimónia de entrega de prémios está marcada para 25 de abril. E em Portugal já está no topo das tendências da plataforma de streaming.

A particularidade desta produção realizada por Michael Matthews é que mistura os elementos típicos deste tipo de narrativas com um enredo leve de amor entre dois adolescentes que entretanto cresceram.

“Love and Monsters” começa com uma revolta de monstros anfíbios mutantes — são eles os vilões sobrenaturais nesta história. Por causa disto, o protagonista, Joel (Dylan O’Brien), fica separado da sua paixão da escola secundária, Aimee (Jessica Henwick).

A narrativa recomeça sete anos mais tarde, já em pleno cenário pós-apocalítico, quando as comunidades humanas que sobreviveram são obrigadas a viver debaixo de terra para não enfrentarem constantemente os perigos dos monstros.

Através de um rádio, Joel descobre que a sua antiga namorada dos tempos de liceu está viva e a morar a apenas 130 quilómetros de onde ele está. A certo momento, o protagonista percebe que não lhe resta nada na colónia subterrânea e decide aventurar-se para ir ter com Aimee. Pelo meio, claro, vai ter de enfrentar uma série de perigos.

Uma das características mais originais da história é que Joel não é a pessoa ideal para sobreviver a um apocalipse. Não tem imensos talentos que possam ser úteis para estas situações, como a maioria dos protagonistas deste tipo de histórias. Tem até várias falhas.

Na sua jornada para encontrar a sua namorada perdida, Joel depara-se também com um cão (e com outros sobreviventes), que acaba por se tornar um companheiro de viagem.

O tom do enredo é claramente mais dócil, leve e ingénuo do que a maioria destes filmes. Ainda assim, claro que existem momentos mais melancólicos e algum luto pela sociedade humana e algumas personagens.

Dylan O’Brien, que é conhecido por ter participado na saga de “Maze Runner”, mostra que não é preciso ser um típico ator de ação para interpretar uma história do género, dando sensibilidade e bondade à sua personagem de Joel.

O elenco inclui ainda nomes como Michael Rooker, Dan Ewing, Ariana Greenblatt, Ellen Hollman, Tre Hale, Pacharo Mzembe, Senie Priti, Amali Golden e Te Kohe Tuhaka, entre outros.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA