cultura

Tó Trips é o segundo artista confirmado no festival FUMINHO

O espetáculo num sítio secreto da cidade vai decorrer no próximo dia 25 de setembro, sábado.
Marque na agenda.

Por causa da pandemia, milhares de espetáculos foram cancelados em Portugal, o que fez com que os músicos e a comunidade artística em geral passassem por dificuldades inesperadas. Com as novas medidas de desconfinamento, os concertos foram retomados, com horários ajustados às regras das autoridades de saúde.

Com o objetivo de voltar a trazer música à cidade, foi criada a primeira edição do FUMINHO, o novo festival de música de Setúbal com um ciclo de concertos em versão mini, que decorre até dezembro em vários sítios secretos de Setúbal. Este evento é organizado pela Experimentáculo que, entre 2010 e 2015, organizou o FUMO, que tinha como objetivo a promoção de locais de valor histórico e cultural de Setúbal, através de espetáculos musicais e não só. O concerto de estreia do FUMINHO foi com o projeto Fado Bicha e esgotou em poucos dias. 

Esta semana, a organização acabou de revelar o segundo artista do cartaz: Tó Trips. O concerto está marcado para o próximo dia 25 de setembro, sábado, num sítio secreto da cidade. O guitarrista Tó Trips foi co-fundador dos projetos Lulu Blind, Deab Combo e, em 2009, lançou o seu primeiro álbum a solo. O evento começa às 17 horas. O local será divulgado na véspera do evento.

Devido à pandemia, esta edição do FUMINHO terá público reduzido. Os recintos vão sendo revelados ao longo dos cinco meses do festival e estão limitados a 20 espetadores por sessão. Por isso, algumas bandas irão apresentar-se em dois dias seguidos. Os bilhetes para este concerto de Tó Trips custam 10€ e as reservas devem ser feitas através do email festivalfumo@nullgmail.com.

Segundo a organização do festival, “o FUMINHO surge da vontade de dinamizar a cultura e de fazer acontecer. Além de apresentar à cidade uma programação musical diversa, desvenda um pouco da história de Setúbal, possibilitando a entrada, durante os concertos, em locais históricos que fazem parte do património imóvel da cidade e que estão atualmente em situação de abandono, desativados ou aproveitados para outros fins”.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA