cultura

“The Dropout”: a nova série sobre uma rapariga de 19 anos que se tornou milionária

O problema é que era uma fraude e foi condenada por isso. São 8 episódios que contam esta história real.
Amanda Seyfried é a protagonista.

As séries de televisão sobre burlões e vigaristas da vida real são claramente uma tendência. Nos últimos meses, a Netflix apostou em produções como “O Impostor do Tinder” e “Inventing Anna”, sobre duas pessoas que viveram à custa dos outros — levando estilos de vida milionários — e que acabaram presos.

Depois, estreou a série documental “Bad Vegan: Fame. Fraud. Fugitives.”, que conta a história da chef vegan que ficou a dever milhões de dólares. E a AppleTV+ apresentou “WeCrashed”, centrada na história da empresa americana WeWork, que cresceu com base em esquemas especulativos que resultaram num desastre financeiro.

Muitas vezes, estas histórias são imprevisíveis, as personalidades na frente da narrativa são tão perturbadoras quanto fascinantes, e o espectador comum está curioso para perceber como é que alguém conseguiu enganar tantas pessoas (e lucrar tanto) na sociedade contemporânea, que todos conhecemos.

Esta quarta-feira, 20 de abril, estreia em Portugal outra história do género. “The Dropout” tem oito episódios que podem ser vistos na Disney+, apesar de ser uma produção original da plataforma de streaming Hulu, que não está disponível por cá.

Baseia-se numa bizarra história real e relata a ascensão e queda da Theranos, uma empresa tecnológica fundada por Elizabeth Holmes. Tinha apenas 19 anos e acabara de sair da universidade de Stanford sem terminar o curso, daí o título da série.

Ainda assim, conseguiu ludibriar investidores, médicos e jornalistas para que pensassem que a Theranos iria realmente conseguir revolucionar os diagnósticos de doenças através de uma simples análise sanguínea. Mas o teste ao sangue que estava na base de tudo isto nunca funcionou realmente.

“The Dropout” arranca em 2002, quando Elizabeth Holmes começa o curso de engenharia química em Stanford. Rapidamente começou a imaginar e a sonhar com inovações revolucionárias na área da saúde. Apresentou algumas ideias que foram descartadas pelos professores especialistas da universidade. Porém, Holmes considerava que a estavam a subestimar.

No seu segundo ano, desistiu da faculdade para apostar no seu novo negócio, a Theranos. O objetivo era canalizar todo o dinheiro que não tinha gastado na licenciatura em Stanford para financiar um dispositivo que só necessitaria de uma gota de sangue para realizar dúzias de análises médicas, incluindo doenças como cancro e diabetes. 

A sua ideia atraiu imenso interesse de investidores. Facilmente angariou milhões e milhões de dólares. O facto de ser uma jovem mulher à frente do projeto — com um estilo idêntico ao de Steve Jobs, fundador da Apple — também a tornou numa figura mediática nos EUA. O problema é que o dispositivo simplesmente não funcionava como era apresentado. 

Uma investigação jornalística do “Wall Street Journal”, iniciada em 2015, começou a sucessão de acontecimentos que eventualmente levariam ao fim da Theranos. Vários ex-funcionários da empresa falaram sobre más práticas laborais. E as alegações sobre a fiabilidade do dispositivo rapidamente colocaram em causa toda a empresa. A Theranos acabou por ser processada e condenada por fraude. Toda esta história é relatada em “The Dropout”.

Elizabeth Holmes é interpretada por Amanda Seyfried, sendo que o elenco inclui ainda Elizabeth Marvel, William H. Macy, Stephen Fry, Laurie Metcalf, Michaela Watkins, Naveen Andrews ou Anne Archer, entre outros.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA