cultura

“O Rapto da Rainha Vitória”: a nova (e misteriosa) peça do Teatro Estúdio Fontenova

A produção conta a história de uma visita inesperada (e muito suspeita) da rainha Vitória a Fernando Pessoa.
Sala de espetáculos do Fórum Luísa Todi.

Fernando Pessoa, um prémio, uma criada, a rainha Vitória, o serviçal John Brown e a mentira: nenhuma destas palavras surge ao acaso. Há uma ligação, misteriosa e por explicar, entre as personagens, o papel na história, o que fizeram e o que queriam fazer. Afina, a rainha foi visitar Fernando Pessoa, mas já morreu. E só a criada é que sabe disso.

É este o mote para a nova peça do Teatro Estúdio Fontenova, “O Rapto da Rainha Vitória”, que estreia no dia 17 de maio, às 21 horas, no Fórum Municipal Luísa Todi. Há mais sessões nos dias 18, 20, 21, 22 e 23, à mesma hora. Dia 19, o espetáculo começa às 16, dia 20, às 11, e dia 21, às 15 horas — estas últimas, são sessões para escolas. Uma coisa é certa: ninguém vai ficar indiferente a este enredo.

“Em Durban, na então colónia inglesa de Natal, Paciência, a criada moçambicana do cônsul português Miguel Rosa, está sozinha em casa na lida doméstica quando recebe uma visita inacreditável: a rainha Vitória, na companhia do escocês seu serviçal John Brown”, pode ler-se na sinopse.

Mais à frente, continua a explicação: “A rainha britânica deseja felicitar o jovem Fernando Pessoa pelo prémio, com o nome dela, que o escritor foi nesse dia de 1903 receber à Universidade da Cidade do Cabo, na companhia da mãe e do padrasto. Mas Paciência é uma mulher expedita e sabe que, a essa data, a rainha Vitória já foi reinar para o outro mundo, faz dois anos”.

É aqui que começam a surgir cada vez mais questões. “Portanto, que mulher é aquela que se quer fazer passar pela defunta soberana inglesa, e por que razão ali veio fazer tal visita? Um jogo de teatro em que a ficção cénica reescreve uma conjuntura histórica, inscrita no passado colonial africano, num conflito de poderes e de identidades étnicas”, acrescenta a produção.

Os bilhetes custam 8€ (6€ para público específico, que possa ter o desconto) e pode comprar online. O texto original é de Armando Nascimento Rosa e a encenação ficou a cargo de José Maria Dias. Do elenco fazem parte Carlos Pereira, Fábio Nóbrega Vaz, Krystall Áfrika, Graziela Dias, Sara Túbio Costa. A sessão dura, aproximadamente, 90 minutos e destina-se a maiores de 14 anos.

Já que aqui está, carregue na galeria para conhecer a programação de maio do Fórum Municipal Luísa Todi. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA