cultura

Mais de 60 filmes e êxitos dos anos 80 vão ser exibidos gratuitamente no Fórum Luísa Todi

Os setubalenses vão poder recordar vários géneros durante os próximos meses. Há propostas para todos os gostos.
The Shinning é um dos êxitos que pode assitir.

Cenas arrepiantes de monstros que vieram de outro mundo, pesadelos de miúdos (e adultos), personagens que são levadas à loucura por vários motivos, batalhas entre impérios intergalácticos, assassinos, namorados, naves espaciais, boxe, amor e histórias de vida. Esta é a receita cinematográfica para o êxito, entre outras narrativas brilhantes dos filmes que marcaram os anos 80.

A partir de 27 de maio, vai poder recordar e rever, no Fórum Luísa Todi, mais de seis dezenas de filmes com mais de 40 anos, e que integram a coleção do antigo cineasta e crítico cinematográfico Lauro António. A masterclass, dedicada ao cinema norte-americano, é de entrada gratuita e decorre sempre à segunda-feira, às 21 horas.

O mote para o ciclo é dado esta segunda-feira, 27 de maio, com o filme “Star Wars — Episódio V – O Império Contra-Ataca”, realizado por Irvin Kershner, naquele que é a segunda produção cronológica da saga intergaláctica mais famosa da indústria. Segue-se, dia 3 de junho, a exibição de “Amityville, a Mansão do Diabo”, filme de Stuart Rosenberg baseado em factos reais sobre um crime de contornos satânicos.

Mais tarde, a 10 de junho, pode assistir à produção “A Mulher de Vermelho”, de Gene Wilder, sobre um homem enlouquecido por uma mulher vestida de vermelho. Dia 17 de junho, o destaque vai para “Alien – O Oitavo Passageiro”, de Ridley Scott, onde uma tripulação de uma nave espacial, ao investigar uma misteriosa transmissão, se depara com organismo xenomorfo mortal.

A 24 de junho, o filme selecionado foi “Vestida para Matar”, de Brian de Palma, sobre uma misteriosa mulher que comete um assassinato. Há sessões agendadas até meados de agosto, com as restantes a serem exibidas posteriormente. A agenda pode ser consultada no site do Fórum Municipal Luísa Todi.

“Poderia ter optado por selecionar apenas obras-primas ou os filmes de excecional qualidade desse período. Seria uma masterclass muito próxima de “filmes que eu amo”, mas não muito representativa dos anos 80″, deixou escrito Lauro António, falecido em 2022, a propósito do novo ciclo cinematográfico.

O antigo cineasta e crítico cinematográfico disse ainda que preferiu optar “por selecionar ícones dos anos 80, filmes de qualidade evidente, mas muitos deles longe de serem obras extraordinárias. Algumas comédias, filmes de terror ou fantásticos, filmes de aventuras que são a essência do cinema americano dos anos 80”.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA