cultura

Há um novo documentário sobre a história do bairro de Troino

"Sal no Sangue", realizado por João Bordeira e Sérgio Braz d’Almeida, vai ser exibido nos próximos dias 21 e 22 de novembro.
Um retrato da pesca na cidade. Foto: Município de Setúbal.

O bairro de Troino, em Setúbal, é uma das zonas mais históricas da cidade. Era lá que vivia a maioria das trabalhadoras da indústria conserveira e também os pescadores. E foram precisamente as vivências dos morados deste bairro típico que serviram de inspiração para a nova curta-metragem, de João Bordeira e Sérgio Braz d’Almeida.

O documentário chama-se “Sal no Sangue” e resulta da obtenção de testemunhos de pescadores artesanais no decorrer de uma residência artística realizada em Setúbal durante a pandemia. A curta-metragem, com realização de João Bordeira e Sérgio Braz d’Almeida e o contributo da antropóloga Mariana Macedo Dias, documenta histórias de vida, dificuldades quotidianas e a ligação ao mar dos pescadores do Bairro do Troino.

As entrevistas foram realizadas perto de cacifos, estrutura física que é, simultaneamente, um local onde os pescadores guardam os materiais necessários à faina, como redes, chumbos, motores, extintores, agulhas e linhas, e um ponto de encontro entre a comunidade. No documentário, há relatos de homens com idades entre os 34 e os 85 anos, que recordam um passado de pesca.

“O futuro que todos veem é o de uma terrível perda da pesca, quer para dar lugar a grandes corporações, quer pela falta de interesse dos mais jovens. Talvez sintam que a pesca está a piorar porque eles próprios já estão envelhecidos e não veem o mundo como viam quando eram jovens”, referiu a antropóloga Mariana Macedo Dias.

“Sal no Sangue”, com duas exibições de entrada gratuita, no dia 21 de novembro, domingo, às 16 horas, na Casa da Cultura, e a 22, segunda-feira, às 18 horas, no Mercado do Rio Azul, é um dos filmes do projeto documental “Troino”, que tem como objetivo a criação de um arquivo audiovisual dos hábitos e das memórias dos moradores do bairro.

A exibição da curta-metragem, com a duração de 30 minutos, é antecedida de um período de conversa com os realizadores e a antropóloga. “Troino” é o segundo projeto documental de um trabalho de pesquisa de João Bordeira e Sérgio Braz d’Almeida, que, a partir de filmes documentais, procura preservar o património cultural imaterial da cidade de Setúbal.

Esta pesquisa, que se iniciou em 2017 com “Miradouro”, filme que retrata a vida dos moradores do bairro de São Domingos, é feita com o envolvimento da comunidade local e dinamizada com o apoio da Câmara Municipal de Setúbal, da União das Freguesias de Setúbal e da programação cultural em rede Mural 18. O principal objetivo é realizar um conjunto de filmes que resultem num registo com valor etnográfico de todo o território de Setúbal.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA