cultura

Fórum Luísa Todi recebe “Disney: As Comédias de Alice”

A sessão, integrada no Film Fest, decorre no dia 16 de outubro. A entrada custa 5€.
Pode comprar os bilhetes.

O Fórum Municipal Luísa Todi vai exibir no dia 16 de outubro, domingo, às 16 horas, “Disney: As Comédias de Alice”. No âmbito do Film Fest — Festival de Cinema Musicado ao Vivo, os espetadores podem contar com uma compilação de cinco animações de Walt Disney: “Alice: um dia no mar”; “Alice: uma história duvidosa”; “Alice: uma aventura assombrada”; “Alice, a flautista” e “Alice: um dia nas corridas”.

As curtas-metragens da série, “Alice Comedies”, foram produzidas entre 1924 e 1927, sendo a primeira incursão de Walt Disney no género, que apenas atingiria maturidade décadas depois: a combinação de personagens reais com animação. As curtas-metragens centram-se nas peripécias e aventuras de Alice e do seu cão, que são as únicas personagens de “carne e osso” no mundo imaginário de animação.

A música que acompanha o filme é de João Silva e André Hencleeday, musicada ao vivo pelos Disruption Ensemble, banda de João Silva e André Hencleeday, com acompanhamento de alunos do Conservatório Regional de Setúbal. A narração é de Célia David, uma das atrizes do TAS —Teatro Animação de Setúbal.

No que toca aos compositores, a convite do município de Setúbal para desenvolver uma residência artística, está a Associação Disrupção, através de João Silva e André Hencleeday, com alunos do Conservatório Regional de Setúbal, com o objetivo de apresentar a criação de uma banda sonora para as diversas curtas-metragens da série “Alice Comedies”. Esta iniciativa insere-se num workshop de criação musical no âmbito do Festival Film Fest. 

Alice e o seu cão.

João Silva é trompetista, professor e investigador. A sua carreira, eclética e multifacetada, foca-se particularmente na esfera da interpretação do repertório contemporâneo do instrumento, tendo tocado em alguns dos mais importantes festivais e salas de concerto por toda a Europa. Já André Hencleeday é um performer e compositor. Atua e grava regularmente com “ensembles” no domínio da música improvisada, trabalhando regularmente com Ernesto Rodrigues. Foi assistente de Miguel Azguime n’O Culto da Ajuda. Mais recentemente estreou-se como solista na peça “Inferno”, de Nuno da Rocha, com o Coro e Orquestra Gulbenkian na Fundação Calouste Gulbenkian.

O Conservatório Regional de Setúbal foi fundado em 1988 e tem-se mostrado, ao longo da sua existência, como um projeto de reconhecida qualidade artística, tendo desde a sua fundação o estatuto de utilidade pública. É dotado de autonomia pedagógica e ministra o curso básico de música e os secundários de instrumento, de formação musical e de canto.  Este estabelecimento leciona o ensino da música a milhares alunos, dos mais variados escalões etários, tendo contribuído para a sua formação cultural, artística e cívica.

A realização da demonstração é feita por Virginia Davis, em menos de uma hora — mais precisamente 52 minutos, tem o custo de 5€ e o ingresso pode ser comprado online. Para mais informações pode visitar o site do Film Fest. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA