cultura

Este ano, a Feira de Sant’Iago tem tudo para bater o recorde de visitas

A New in Setúbal conversou com o vereador Pedro Pina, responsável pela divisão de cultura da autarquia, sobre o evento.
A Feira de Sant'Iago está de volta.

Como bem sabemos, a Feira de Sant’Iago é uma das grandes apostas culturais da cidade. Todos os anos atrai milhares de setubalenses e visitantes, sobretudo pelos artistas nacionais e da região que atuam no recinto.

Passados dois anos de interrupção por causa da pandemia, a feira está de volta ao Parque de Sant’Iago, de 29 de julho a 7 de agosto. Foram dois anos de muita incerteza, principalmente para o setor cultural, um dos que mais sofreram com as medidas aplicadas durante o surto de Covid. O regresso está a elevar as expetativas do evento, segundo Pedro Pina, vereador do departamento de cultura, desporto, direitos sociais, saúde e juventude da Câmara Municipal de Setúbal.

“Depois de dois anos tão difíceis é natural que as expetativas sejam muito grandes. Estamos a falar de um evento com 440 anos de história e que, acima de tudo, marca a vida de muitos setubalenses e de todos aqueles que a visitam”, afirma à New in Setúbal na apresentação da Feira de Sant’Iago.

Durante o tempo de preparação do evento, o vereador garante que “temos feito um esforço enorme para que tudo corra bem”, nomeadamente para que o terreno esteja pronto para acolher o conteúdo da feira, desde os divertimentos, ao movimento associativo, bem como os palcos. “Estivemos a fazer o nosso trabalho e esperamos que os setubalenses e aqueles que nos venham visitar, adiram”, antecipa.

O vereador Pedro Pina.

Após este período conturbado é necessária uma grande aposta nos artistas, que não viveram períodos nada fáceis. Pedro Pina concorda com esta visão. “Muitos destes artistas estiveram impedidos de fazer o que melhor sabem, que é atuar em eventos como a Feira de Sant’Iago. Assim, é imperativo voltar a permitir que subam ao palco, e que encham de alegria e satisfação todos aqueles que vão assistir”, revela.

Como já foi anunciado, a Feira vai trazer a Setúbal nomes conceituados da música nacional, como Expensive Soul, Ana Moura, Lura, Amor Electro e Quim Barreiros, que vão atuar no Palco Sant’Iago. No entanto, há um outro palco, o Encontros, reservado só a artistas da cidade, como Renato Sousa, Orquestra Jazz de Setúbal, Arrábida World Music, ou a banda Caravananana. O evento inclui vários estilos musicais, para agradar a toda a gente, sendo esse um dos focos da aposta da organização, segundo Pedro Pina.

A aposta cultural na cidade

Além da Feira de Sant’Iago, é importante que Setúbal dinamize propostas culturais que sejam um veículo para lançar artistas e projetos. De acordo com o vereador, “Setúbal é uma cidade que aposta muito na criação artística”, sendo este um dos objetivos a manter para os próximos anos. “Setúbal, hoje, já é uma referência muito relevante no panorama da produção cultural, e não falo só para programação cultural do Fórum Municipal Luísa Todi, mas sim da centena de projetos, das mais diferentes áreas, que passam pela Casa da Cultura”, reforça Pedro Pina.

Um dos projetos destacado pelo vereador é a Mostra de Artes Performativas de Setúbal (MAPS), que está a decorrer até ao dia 16 de julho, sábado. Trata-se de uma performance de vários artistas portugueses e estrangeiros nas ruas da cidade. “Setúbal é uma cidade que tem criado condições para a criação artística, não só na aposta de muitas estruturas que aqui são residentes, que têm uma história com a cidade, mas também porque eu acho que deve ser uma condição”.

Pedro Pina considera que a nossa cidade conta a história de muitas pessoas que aqui se instalaram para trabalhar, e de muitas outras que daqui partiram com o mesmo propósito. “Os dois maiores vultos da cultura setubalense são Manuel Maria Barbosa Du Bocage e Luísa Todi, nascidos em Setúbal, mas que afirmaram as suas notáveis qualidades fora da cidade de Setúbal. Nós também temos de ter esta condição de acolher quem vem por bem”.

Atualmente, indica que tem sido possível dinamizar “espetáculos extraordinários” no âmbito d’A Gráfica, sempre com a componente de trabalhar com as pessoas da comunidade. O vereador conclui que há um mundo escondido neste espaço que muitas pessoas ainda não conhecem.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA