cultura

Dicionário charroco: tudo o que precisa de saber para não se perder em Setúbal

Pedimos ajuda ao Rui Garcia, do blogue Charroque da Prrofundurra, para nos ajudar a decifrar as expressões mais enigmáticas.

Todos os setubalenses têm aquele amigo que tem a mania de imitar o sotaque sadino sempre que ouve falar de Setúbal e que se põe a dizer Carrrapau, sarrdinha ou choco frrrito. E se, por um lado há alguma tendência para carregar nos érres, especialmente em bairros como o Troino, a verdade é que o dialeto charroco e muito mais rico do que isso.

Com origem nas fábricas de conservas da cidade, o dialeto charroco apareceu porque muitos dos proprietários destas fábricas eram franceses e os operários vinham de todas as partes do País. Da mistura de sotaques nasceu o dialeto do charroco, que hoje é dominado essencialmente pelos setubalenses mais velhos.

No entanto, há quem faça questão de manter viva a tradição do sotaque, como é o caso de Rui Garcia. Setubalense de gema, este engenheiro florestal criou um blogue para dar destaque às expressões mais famosas deste dialeto local e o sucesso que teve levou-o a criar uma linha de roupa própria e a abrir uma loja: Charroque da Prrofundurra. Neste espaço há centenas de T-shirts estampadas com os dizeres típicos do dialeto do Bairro de Troino.

A New in Setúbal pediu ajuda ao blogger setubalense para perceber quais são as expressões charrocas que toda a gente deve dominar para nunca se sentir perdido em Setúbal.

Amigo – Sóce
Este tempo está uma porcaria – caganda barrdajice de tempe
Não faças isso – Põe-te manso
Vamos à discoteca? – Bórra ó Sigal?
Deixa-me em paz – Deslárrgame da mão
O que é que tens? – Ah miga… ‘Tás assim cá’do quê?
Cala-te – Cala-me essa boca de charroque
Esquece isso – Apá sóce… salga masé isse
Está imenso calor – ‘Tá calorr à patáda
Está frio! – ‘Tá o brrióle a montes
Vamos ver um jogo do Vitória de Setúbal? – Bórra à bola verr o nósse Vitórria?
Vou dormir – vou batérr um chouque
Estou cansado – tou estoirradinhe
Vou dar um mergulho – Vou-me atirrárr ó márr
É fim de semana– tá aí o fim de semana
Gosto muito disto – Grrame bués diste
Está quieto – Párra quiéte
Rui Garcia é autor do blogue “Charroque da Prrofundurra”
tags: blogue, charroco, Charroque da Prrofundurra, Dicionário, expressões

outros artigos de cultura

mais histórias de Setúbal