cultura

CLIT: o novo festival de cinema vai trazer 90 filmes a vários spots de Setúbal

O evento Cinema em Locais Inusitados e Temporários decorre de 8 a 17 de outubro. Conheça o programa completo.
A Casa da Baía é um dos spots onde vão acontecer as sessões.

Quando se fala em cinema pensamos logo na imagem de uma sala escura, pipocas e um ambiente mega romântico. Durante o confinamento, com os cinemas fechados, as famílias optaram por fazer maratonas de filmes em casa e, em algumas cidades, organizaram-se sessões de cinema ao ar livre.

Porém, com o levantamento das restrições da pandemia, os espetadores só querem voltar às salas e pôr a sua bucket list de filmes em dia. Pois bem, se é fã de cinema, temos boas notícias. Está a chegar à cidade um novo festival de cinema, com a exibição de 90 filmes produzidos em 40 países, incluindo estreias mundiais e candidatos aos Óscares.

O CLIT — Cinema em Locais Inusitados e Temporários, organizado pela Associação Cultural Festroia, com o patrocínio da Câmara Municipal de Setúbal, decorre nos próximos dias 8 a 17 de outubro, vários sítios de Setúbal.

A Casa da Baía, Capricho Setubalense, Auditório Bocage, Inatel, Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal e o campus do Instituto Politécnico de Setúbal são os locais escolhidos por este novo festival, que conta ainda com masterclasses de cinema, debates, artes plásticas e dança.

O CLIT, com três secções distintas, “Estimula-te!”, “Ativa-te!” e “Descobre-o!” abre esta sexta-feira, 8 de outubro, às 21h30, na Casa da Baía, com uma sessão dupla na qual é exibida a animação “O clitóris”, da canadiana Lori Malépart-Traversy, e apresentado o documentário “Água sagrada”, do belga Olivier Jourdain.

A secção “Estimula-te!” dá a conhecer uma seleção de primeiras obras de novos realizadores nacionais e estrangeiros, agrupadas em animação, artes plásticas, beleza e aceitação, novos valores russos, curtas realizadas por homens e da autoria de mulheres.

Nesta secção, destaca-se ainda um conjunto de produções da Escola Artística Soares dos Reis, exibidas a 14 de outubro, quinta-feira, data em que se assinalam os 174 anos do nascimento do escultor.

A secção “Ativa-te!”, de caráter competitivo, a decorrer no campus do Instituto Politécnico de Setúbal, a qual conta com o patrocínio exclusivo do Programa Cidadãos Ativos/EEA Grants, gerido em Portugal pela Fundação Calouste Gulbenkian e pela Fundação Bissaya Barreto, está centrada nas temáticas sociais e ambientais.

Proteção dos oceanos, saúde mental, direitos das mulheres, refugiados, ação climática, agroecologia e impactes da robótica e da inteligência artificial na sociedade são os temas explorados nos filmes em exibição.

Já a secção “Descobre-o!”, igualmente de competição, foi pensada para o público mais aventureiro, com exibições em espaços não divulgados, que desafia os participantes a embarcar numa descoberta dos locais, alimentada por pista facultadas na aplicação para dispositivos móveis e nas redes sociais do festival.

O diretor do festival CLIT, Luís Humberto Teixeira, sublinhou em comunicado que “esta seção procura quebrar os hábitos do público de ver cinema em casa, acentuados com os confinamentos provocados pela pandemia, introduzindo um elemento de surpresa e transformando os espetadores em descobridores”.

O último dia do festival, 17 de outubro, domingo, reserva duas masterclasses da FX Animation Barcelona 3D & Film School, na Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal. O CLIT termina no Auditório Bocage, com a entrega de prémios aos filmes em competição e uma homenagem a Paulo Trancoso, produtor e presidente da Academia Portuguesa de Cinema, pelo percurso cinematográfico e ambiental.

Todas as sessões deste festival são de entrada gratuita. Pode consultar o programa completo em breve na página do evento e no site do município de Setúbal.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA