cultura

Bambolinices regressa à cidade com 16 espetáculos imperdíveis

A Bienal de Teatro, organizada pela GATEM — Espelho Mágico, convida várias companhias do País a atuarem para os setubalenses.
É um sucesso. (DR: Município da Moita)

Na Grécia antiga, por volta do século IX a.c., existiam dois tipos de teatro: a tragédia e a comédia. Para apoiar o primeiro género, existia a tríade: quem vê, o que se vê e o imaginado, e era graças a estes elementos que o público sentia e reagia. Por outro lado, a comédia era e continua a ser, em muitos aspetos, uma sátira da vida em sociedade.

Com o passar dos tempos, o teatro evoluiu para a interpretação de histórias de amor, contos intemporais, homenagens a figuras icónicas e invenção de personagens que acompanharam gerações. É da criatividade que nascem as maiores obras e, em Setúbal, existe um projeto que é prova disso. A quarta edição do Bambolinices — Bienal Internacional de Teatro e Artes Performativas para Toda a Família, com organização da GATEM — Espelho Mágico, decorre de 2 a 11 de fevereiro.

O evento decorre desde 2018, mas a vontade de realizá-lo já existia há mais tempo. “Foi pensado e esteve muitos anos na gaveta. Surgiu com Fernando Guerreiro e, durante 11 anos, fomos insistindo e, finalmente, criaram-se condições. Conseguimos que fosse realizado e é uma oportunidade única de nos poderem ver dez dias consecutivos, com espetáculos para a infância, para a juventude e para toda a família”, explica Céu Campos, diretora da companhia, à New in Setúbal.

A apresentação do programa decorreu a 16 de janeiro, no Centro Artístico Fernando Guerreiro. O certame tem sido um sucesso, “tanto de público, como de impacto na sociedade” já que têm iniciativas “muito importantes”. “Na última edição fizemos um fórum permanente de teatro, ainda em contexto de pandemia, em que estiveram várias companhias de todo o País, durante um fim de semana, a pensar teatro e a fazer formações. Tem sido um caminho importante”, acrescenta.

Este ano, o Bambolinices decorre em jeito de homenagem ao ator, dramaturgo, carpinteiro, cenógrafo, designer, publicista e humanista Asdrúbal Teles Pereira. “Esta é uma personalidade muito esquecida. Foi não só um homem do teatro, mas alguém completo. Desempenhava vários papéis e dedicou muita da sua vida à grande paixão que era o teatro. Quisemos repescar este nome para a relembrar e fazer memória daquilo que ele foi e significou para o teatro e não só, já que foi um lutador pela liberdade do 25 de Abril”, revela a diretora.

O evento vai contar com espetáculos de várias companhias de teatro de todo o País, oficinas, tertúlias e uma exposição biográfica de Asdrúbal Teles Pereira. As apresentações vão decorrer em dois palcos: o Fórum Luísa Todi e o Centro Artístico Fernando Guerreiro, a nova sede da cooperativa cultural, em instalações localizadas na Rua da Figueira Grande, na Bela Vista, cedidas e requalificadas pela Câmara Municipal de Setúbal, que apoia o festival.

“Fizemos estas escolhas precisamente porque, nas pretéritas edições, o Bambolinices decorreu em muitos locais e em vários palcos, e correu muito bem. Por termos este espaço cedido [Centro Artístico Fernando Guerreiro], decidimos virar os olhos da cidade para aquele sítio, que está situado num bairro muito especial, que é o da Bela Vista. Queremos que pessoas de fora do bairro vão até lá usufruir da cultura e oferecer aos habitantes a oportunidade de assistir, pela primeira vez, a espetáculos de teatro”, revela Céu Campos.

Conheça a programação completa na lista abaixo.

2 de fevereiro

21 horas — “Pinóquio”, pela GATEM — Espelho Mágico, no Fórum Municipal Luísa Todi. Entrada: 5€.

3 de fevereiro

11 horas — “A Magia do Fundo do Mar”, pela Lanterna Mágica, no Centro Artístico Fernando Guerreiro. Entrada: 5€.

17 horas — Exposição biográfica de Asdrúbal Teles Pereira, no Centro Artístico Fernando Guerreiro. Entrada livre.

21 horas — “O Gato”, pelo Grupo Cénico Povoense, de Póvoa de Lanhoso, no Fórum Municipal Luísa Todi. Entrada: 5€.

4 de fevereiro

11 horas — Oficina de teatro para país e filhos, pela Universo Paralelo, no Centro Artístico Fernando Guerreiro. Entrada livre.

18 horas — “A Bela e o Monstro”, pelo Teatro Esfera, no Fórum Municipal Luísa Todi. Entrada: 5€.

5 de fevereiro

11 horas — “Caju e Bambu – Uma Odisseia na Terra”, por José Lobo e João Martins, no Fórum Municipal Luísa Todi. Entrada: 3,5€.

6 de fevereiro

11 horas — Oficina de expressão e movimento, pela Universo Paralelo, no Centro Artístico Fernando Guerreiro. Entrada livre.

7 de fevereiro

11 horas — “O Principezinho (de bolso)”, pela GATEM – Espelho Mágico, no Fórum Municipal Luísa Todi. Entrada: 3,5€.

8 de fevereiro

11 horas — “Da Floresta Vamos Cuidar”, pela Animateatro, no Fórum Municipal Luísa Todi. Entradas: 3,5€.

9 de fevereiro

11 horas — “A Manta do José, Uma História – Canção!”, pela Monda Teatro-Música, no Centro Artístico Fernando Guerreiro. Entrada livre.

15 horas — “EWIVA”, pelo italiano Andrea Mariani Clown no coreto da Avenida Luísa Todi.

10 de fevereiro

11 horas — “Monstro das Emoções”, pela ProtagonizaMagia Associação Cultural, no Centro Artístico Fernando Guerreiro. Entrada livre.

21 horas — “Tertúlia Poética, Musical e Não Só!”, pela GATEM – Espelho Mágico, no Centro Artístico Fernando Guerreiro. Entrada livre.

11 de fevereiro

15 horas — “A Dama e o Vagabundo”, pela GATEM — Espelho Mágico, no Fórum Municipal Luísa Todi. Entrada: 5€.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA