cultura

“Aniki-Bobó” e “O pátio das cantigas” estão a chegar ao Fórum Luísa Todi

As sessões do ciclo “A história resumida do cinema português em 22 filmes” estão marcadas para 10 de outubro, segunda-feira.
A entrada é livre.

No âmbito do ciclo “A história resumida do cinema português em 22 filmes” sobem a cena “Aniki-Bobó” e “O pátio das cantigas”, no dia 10 de outubro, segunda-feira, no Fórum Luísa Todi. O primeiro é as 19 horas e o segundo às 21h30. Este ciclo pretende dar a conhecer de uma forma muito breve o percurso do cinema português nos últimos 126 anos, começando no cinema mudo até aos últimos filmes estreados em sala.

São focadas as décadas mais importantes do cinema português, os movimentos mais relevantes, alguns dos realizadores mais influentes e as produções que mais marcaram a nossa cinematografia assim como algumas pérolas pouco vistas. E tudo apenas em 22 filmes.

Para quem já não se recorda, “Aniki-Bobó”, está relacionado com a vida de um grupo de miúdos humildes no Porto, entre amores e desamores, convivência com figuras autoritárias e a inocência da infância. Carlitos e Eduardinho gostam da mesma menina, Teresinha. Um é audacioso e atrevido. O outro, tímido e sossegado. A rivalidade acentua-se até o dia em que Eduardo vai parar no hospital. Carlos torna-se o principal suspeito de tê-lo empurrado.

Este drama de 1942 tem mais de uma hora rodagem e conta com a participação de Nascimento Fernandes, Fernanda Matos, Horácio Silva, António Santos, António Morais Soares, Feliciano David, Manuel Sousa, António Pereira, Américo Botelho, Rafael Mota, Vital dos Santos e Manuel de Azevedo.

A realização, o argumento, a planificação e diálogos, estão sob a responsabilidade de Manoel de Oliveira, baseado no conto “Meninos Milionários”, de Rodrigues de Freitas. O poema é de Alberto Serpa, a fotografia de António Mendes e a entrada é gratuita. 

Já “O pátio das cantigas”, retrata um típico pátio lisboeta, por altura das festas dos Santos Populares. Pessoas simples vivem o seu quotidiano, os seus sonhos, desilusões, paixões, ciúmes e alegrias numa atmosfera quase encantada.

Alfredo é um bom rapaz cujo irmão Carlos, um estouvado, namora a frívola Amália. A irmã desta, Suzana, ama por sua vez Alfredo. Narciso, o pai de Rufino e seu sócio na leitaria do bairro, é um bêbado crónico e um virtuoso da guitarra. 

Rosa, uma bem disposta viúva que vende flores, é cortejada por Narciso e pelo intratável e arrogante Evaristo, o merceeiro, pai da invejosa e mimada Celeste. A rivalidade entre Narciso e Evaristo vai ao rubro numa noite de bailarico no pátio que termina numa autêntica batalha campal. Por fim, tudo se compõe entre os vários pares amorosos e no pátio a vida segue serenamente.

Do elenco desta comédia portuguesa estão os atores Maria das Neves, Vasco Santana, António Silva, Laura Alves, Barroso Lopes, Carlos Otero, António Vilar, Maria Paula, Graça Maria, João Silva, Carlos Alves, Eliezer Kamenesky, Regina Montenegro, Armando Machado, Reginaldo Duarte, Pereira Saraiva, Maria da Graça, Francisco Ribeiro (Ribeirinho), Casimiro Rodrigues, Artur Rodrigues, João Guerra, Joaquim Amarante e Armando Pedro. 

A realização desta exibição, de aproximadamente duas horas, está a cabo de Francisco Ribeiro (Ribeirinho) e o argumento e diálogos de António Lopes Ribeiro, Vasco Santana, Francisco Ribeiro (Ribeirinho). A entrada nas sessões é livre. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA