cultura

Albano Jerónimo chega à Netflix e “Anatomia de Grey” regressa: todas as novidades de março

“The Walking Dead”, “New Amsterdam” ou “Schitt’s Creek” também regressam. E o criador de “La Casa de Papel” tem uma nova série.
Veja o que vem aí.

Março promete ser mais um mês para ficar em casa — ainda que possa ser o último com tantas restrições — e para ajudar vão estrear muitas séries novas (e também há vários regressos esperados) na televisão e nas plataformas de streaming.

Por exemplo, “Anatomia de Grey”, “The Walking Dead”, “New Amsterdam”, “Brooklyn Nine-Nine” ou “Schitt’s Creek” estão todas de volta com novas temporadas ou episódios.

Um dos principais destaques é “The One”, a série da Netflix em que Albano Jerónimo vai ser um dos protagonistas. A produção britânica de ficção científica, que se baseia num livro de John Marrs, vai ter oito episódios.

A narrativa passa-se num futuro muito próximo, quando existe a tecnologia de, através de um teste de ADN, ser possível encontrar a alma gémea de qualquer pessoa.

“Independentemente de a relação ser boa, quem pode dizer que nunca pensou se haverá alguém melhor para nós a andar por aí? E se uma amostra de cabelo é suficiente para chegarmos a essa pessoa? A ideia é simples, mas as implicações são explosivas. Nunca vamos pensar no amor e nas relações da mesma forma”, pode ler-se na sinopse do projeto.

“A série toda trata de uma comunidade secreta de cientistas que trabalha para o estado, e que descobriram uma coisa: há um perfect match de ADN com outra pessoa no mundo. Ou seja, tu tens um emparelhamento perfeito a nível de ADN com outra pessoa no mundo. Quando encontras essa pessoa, escusas de procurar mais, porque tens ali a pessoa perfeita para a tua vida. Basicamente é isto. Então e o governo usa isso a seu favor, para controlar a população, são manobras de manipulação social”, explicou à NiT, em maio do ano passado, Albano Jerónimo.

E acrescentou: “O que é que a minha personagem faz aqui? Eu sou o perfect match da protagonista. Ela faz parte dessa organização secreta e eu sou, digamos, o mundo do dia a dia. Sou o lado terreno, ‘normal’ da coisa. Ela faz parte de uma elite social inglesa, eu sou o gajo normal que é o oposto daquilo que a série retrata. No fundo, o meu papel vem pôr este peso na balança da série. É um lado mais prático da vida, onde estou longe dessas equações todas.”

Na mesma entrevista, Albano Jerónimo revelou à NiT que “The One” teve um orçamento idêntico ao de “Black Mirror” e que os produtores da série deixaram-no dizer algumas palavras em português durante a rodagem. Também está confirmado que outro ator português, Miguel Amorim, faz parte do elenco.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA