cultura

Academia de Dança Contemporânea de Setúbal está a ser requalificada pelo município

A situação ficará resolvida nos próximos três anos, garantiu o presidente da Câmara Municipal, André Martins.
Alunas da Academia de Dança Contemporânea de Setúbal.

A Academia de Dança Contemporânea de Setúbal (ADCS) foi criada em 1982 pelos bailarinos portugueses Maria Bessa e o António Rodrigues. Desde a fundação, que a escola já passou por vários espaços como, por exemplo, o da Rua de Brancanes e um barracão no Largo José Afonso, cedido pela Câmara Municipal de Setúbal. No entanto, por causa da intervenção do programa Polis, a ADCS teve de abdicar do direito de superfície para a autarquia em 2002.

Depois disso, a escola continuou a funcionar noutros espaços até se instalar na Rua Prof. Borges de Macedo, nas Manteigadas, junto à Escola Profissional de Setúbal. A ideia seria que as instalações fossem provisórias, mas acabaram por se tornar definitivas.

Os grandes problemas deste espaço é que é muito pequeno e fica longe do centro, o que faz com que os alunos tenham dificuldades no acesso aos transportes. Com a pandemia, a situação da ADCS tornou-se ainda mais frágil, porque muitos alunos não voltaram a inscrever-se nas classes. 

No início deste ano letivo chegaram boas notícias. Face às limitações da Academia, a autarquia decidiu avançar com um conjunto de intervenções de qualificação do espaço e ampliação das instalações, de forma a melhorar as condições para o desenvolvimento das atividades da escola nos próximos três anos.

“É uma solução provisória que nos dá algum tempo para encontrarmos instalações definitivas que sirvam os propósitos da Academia”, garantiu o presidente da autarquia de Setúbal, André Martins, durante a visita às instalações da escola que decorreu esta quarta-feira, 21 de setembro.

O objetivo da instituição, explica a diretora, Iolanda Rodrigues, é a deslocalização para uma zona mais central da cidade, com maior acesso, e para um edifício com mais espaço e condições para o desenvolvimento da atividade. “Precisamos de um espaço central que permita atrair mais alunos e abrir mais cursos.”

O projeto de requalificação inclui o alargamento do espaço de trabalho da instituição, com a instalação de um novo contentor monobloco com uma área de 300 metros quadrados. Este alargamento vai permitir criar mais dois estúdios de dança, a juntar aos três atuais, assim como novos camarins, balneários e sala de arrumos.

A presidente da Direção, Iolanda Rodrigues, os restantes dirigentes, professores e os membros da Associação de Pais que acompanharam a visita do presidente André Martins confessaram que sentem “uma grande vontade da Câmara Municipal em resolver o problema”, o que é “muito importante” para a continuidade do trabalho da Academia de “servir cada vez melhor a cidade”.

Posted by Academia de Dança Contemporânea de Setúbal on Monday, September 12, 2022

 

Fundada a 19 de outubro de 1982, a Academia de Dança Contemporânea de Setúbal foi a primeira escola do País com um modelo de ensino articulado e vocacional. A escola disponibiliza cursos de formação de bailarinos, do 5.º ao 12.º ano de escolaridade, classes de iniciação ao movimento, para alunos dos três aos dez anos e cursos livres para miúdos e jovens dos dez aos 14 anos e para jovens e adultos a partir dos 15 anos.

A instituição desenvolve ainda o projeto da Pequena Companhia, estrutura similar a uma companhia de dança profissional, constituída por alunos a partir do 9.º ano. Pode acompanhar todas as novidades sobre a Academia na página de Facebook.

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA