cultura

A exposição que revela os locais onde esteve o poeta azeitonense Sebastião da Gama

Inserida nas comemorações dos centenários dos nascimentos de Joana Luísa e Sebastião da Gama, a mostra está patente até 18 de maio.
O poeta morreu aos 27 anos.

O poeta Sebastião da Gama, natural de Azeitão, nasceu a 10 de abril de 1924 e morreu no dia 7 de fevereiro de 1952. Publicou três livros e, depois da sua morte, a mulher Joana Luísa dedicou a sua vida a divulgar as obras do escritor e também professor. A sua vida e carreira são recordadas através de diversas homenagens pelo concelho, em especial numa altura em que estaria perto de celebrar 100 anos.

Para todos os interessados ficarem a conhecer mais acerca do percurso do poeta, literalmente, pelo concelho, foi inaugurada a exposição fotográfica “Os Lugares de Sebastião da Gama pela Lente de Américo Ribeiro”, na Casa Bocage. Nas imagens, vai poder descobrir os sítios por onde passou Sebastião da Gama, mas também alguns locais descritos nos seus poemas.

A exposição, organizada pela autarquia e integrada nas comemorações dos centenários dos nascimentos de Joana Luísa e Sebastião da Gama, pode ser visitada, de forma gratuita, até 18 de maio, de terça a sexta-feira, das 11 às 13 horas e das 14 às 18 horas e aos sábados, das 14 às 18 horas.

Sebastião Artur Cardoso da Gama foi um poeta e professor português, nascido em Vila Nogueira de Azeitão, a 10 de abril de 1924. Licenciou-se em Filologia Românica, pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em 1947. Todo o seu trabalho de poesia era fortemente inspirado na Serra da Arrábida, mas também relacionado com a sua condição de saúde e tragédia pessoal, uma vez que o poeta tinha, desde adolescente, tuberculose, acabando mesmo por morrer precocemente, aos 27 anos, em Lisboa, vítima da doença.

O primeiro livro de Sebastião da Gama foi publicado em 1945, intitulado “Serra Mãe”, dedicado em toda a sua essência à beleza, serenidade, importância e inspiração à sua valorosa Arrábida. Uma história digna de conto de fadas, e que dura para sempre, é a da sua vida com a esposa, Joana Luísa. Um amor incondicional, que viveu além da morte.

Já que estamos a falar do poeta da Arrábida, carregue na galeria e fique a conhecer alguns trilhos que pode fazer pela serra. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA