cultura

61 anos depois, Coral Luísa Todi celebra a primeira atuação pública com concerto

“Em Tempo…” é uma viagem pela história do grupo, apresentada no Fórum Municipal Luísa Todi. Os bilhetes já estão à venda.
Garanta o seu lugar.

Ao longo dos anos, a tecnologia evolui, a ciência desenvolve-se, aparecem novas formas de arte e descobrimos curiosidades acerca do nosso planeta. Ainda que existam inúmeras alterações, há um mistério que continua sem explicação: o tempo. Ninguém sabe o que é o tempo, como surgiu, onde começa e onde termina. Só sabemos que é marcado por momentos, que se transformam em recordações.

É precisamente este fenómeno que vai poder celebrar no dia de 6 de julho, às 21h30, no Fórum Municipal Luísa Todi, a propósito do 61.º aniversário da primeira atuação pública do Coral Luísa Todi. E é mesmo ao redor dos vários significados da palavra “tempo” que vai decorrer o espetáculo.

“Por que não comemorar o tempo num concerto? Primeiro, numa viagem ao passado, recordando temas que fazem parte do nosso imaginário, que outros já cantaram e que o Coral Luísa Todi também já interpretou, num regresso aos anos loucos da música pop ou num recordar temas que abril imortalizou”, diz o grupo.

E acrescenta: “Temos ainda o presente, suportado por aquilo que é hoje o Coral Luísa Todi, com aqueles que atualmente o integram. E nesse presente, que estará em palco no dia 6 de julho, iremos construir as pontes para o futuro, que todos desejamos seja brilhante”.

A direção do espetáculo “Em Tempo…” está a cargo do maestro Fernando Malão. Os bilhetes custam 10€ para a plateia e 8€ para o balcão. Pode comprar online. O Coral Luísa Todi foi fundado a 25 de outubro de 1961, por Maria Adelaide Rosado Pinto e Aurélio Lino da Conceição Fernandes.

A 30 de julho de 1963, o grupo atuou no até então Cineteatro Luísa Todi. Preencheu, assim, o espaço deixado vago pelo desaparecimento de um grande agrupamento polifónico dos anos 30, o Orfeão Cetóbriga.

Carregue na galeria para conhecer a programação completa do mês de junho no Fórum Luísa Todi. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA