cultura

100 anos de legado: Joly Braga Santos é homenageado num concerto no Fórum Luísa Todi

A Orquestra Metropolitana de Lisboa vai percorrer, a 26 de maio, alguns dos êxitos do compositor e maestro.
Garanta o seu lugar.

Mesmo que as novas gerações não tenham tido o privilégio de conhecer e ouvir, ao vivo, grandes nomes da música portuguesa, revelados e reconhecidos durante o século XX, temos a sorte de terem ficado registadas as atuações e as criações de compositores, instrumentistas e cantores, de vários géneros musicais, que levaram ao rubro multidões em vários cantos do País.

Atualmente, são feitas homenagens aos artistas que contribuíram para enriquecer a cultura portuguesa. Entre eles, está Joly Braga Santos, e, na altura da celebração do seu centenário, vai realizar-se um concerto de homenagem, da Orquestra Metropolitana de Lisboa, sob direção do maestro Pedro Neves, no Fórum Municipal Luísa Todi, dia 26 de maio, pelas 17 horas.

“O encanto da música de Joly Braga Santos revelou-se ao público nos anos 40. Era então aluno de Luís de Freitas Branco e transbordava um talento que lhe garantiria lugar entre os melhores. As suas criações eram espontâneas, mas de elaboração cuidada; eram intensas, mas de apreensão imediata. Este concerto celebra o seu legado, no preciso mês em que passam 100 anos sobre a data do seu nascimento”, lê-se na sinopse do espetáculo.

Joly Braga Santos nasceu em 1924, em Lisboa, e morreu no auge da sua carreira, aos 64 anos. Foi compositor de música erudita e maestro português. Inspirou-se nas obras do seu mestre, Luís de Freitas Branco. O talento revelou-se ainda entre os 22 e os 27 anos, com composição de várias obras e, ainda antes disso, transformou em música textos de Antero de Quental, Fernando Pessoa e Luís de Camões. Escreveu seis sinfonias em vida e, durante um período, deixou de lado a composição para se dedicar à direção de orquestra.

Podemos dizer que este concerto é uma autêntica viagem musical. Tem início com um concerto para cordas, de 1951, prossegue com a música de um bailado estreado no Teatro Politeama, em 1968, e depois com Staccato Brilhante, de 1988. Pelo meio, ressoam ritmos e melodias tradicionais da Chéquia, na música de Antonín Dvořák. Os bilhetes custam 14€ e pode comprá-los online

Já que aqui está, carregue na galeria para conhecer a programação completa do Fórum Municipal Luísa Todi. 

MAIS HISTÓRIAS DE SETÚBAL

AGENDA